Para que serve o chip do cartão de crédito?

Por Redação IQ 360

Comprar com cartão de crédito é muito prático, mas as fraudes envolvendo essas transações são inúmeras. Na tentativa de frear ações de criminosos e criar mecanismos para dificultar suas ações, o chip foi parar nos cartões também.

O chip é uma tecnologia que agregou mais segurança e tecnologia para as operações com cartão de crédito. Aquele simples pedacinho de metal inserido nos cartões é muito eficiente e guarda diversas informações importantes. Graças a uma série de verificações que são feitas por meio do chip antes da finalização das compras, as fraudes com cartão ficaram mais difíceis.

O chip nada mais é do que um microdispositivo eletrônico com inúmeros componentes interligados, capazes de executar muitas funções, dentre elas o armazenamento e transmissão de dados.

Como funciona o chip de um cartão

Todas as informações do cliente são armazenadas no chip e fornecidas ao estabelecimento no momento da compra. Da mesma maneira, a operadora do cartão de crédito receberá todas as informações referentes ao estabelecimento no momento em que o cartão for inserido no terminal eletrônico (maquininha). Apesar de parecer complexo, todo esse processo leva apenas alguns segundos.

O diferencial de segurança é que para que seja possível acessar as informações contidas no chip, o cliente terá que digitar sua senha. Sem a senha correta a comunicação é interrompida e a transação não se completa.

Quando o cartão é inserido na maquininha, o dispositivo faz a conexão entre o cartão e a administradora. Neste momento uma série de informações são verificadas:  tipo do cartão (nacional, internacional), bandeira, data de validade, nome do titular, etc. Se estiver tudo em ordem com esses dados, aí sim o terminal libera o teclado para que a senha seja digitada.

Depois que a senha foi conferida, a transação em si é iniciada e a administradora do cartão vai conferir outros dados: tipo de conexão, número do cartão, estabelecimento onde a compra está sendo realizada e a instituição emissora do cartão. O valor da compra, o limite disponível no cartão e os protocolos de segurança também são verificados neste momento. Somente depois de todo esse processo a compra será autorizada.