Como funcionam os cartões de crédito

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Diferenças entre crédito e débito
  2. Empresas envolvidas em uma transação
  3. Como funciona a transação
  4. Taxas pagas pelos lojistas

Diferenças entre crédito e débito

O cartão de crédito é um método de pagamento aceito em vários países. O aspecto é igual ao cartão de débito comum, mas tem algumas particularidades na forma como funciona. Ao contrário do cartão de débito, o cartão de crédito possui um limite de gasto por mês. É como se estivéssemos fazendo um empréstimo pessoal na hora, mas sem a necessidade de passar por aprovação de crédito ou submeter uma solicitação de empréstimo para algum banco.

Esse limite é determinado anteriormente, e poderemos usar sempre que precisarmos, com a particularidade de que não precisamos ter fundos disponíveis na conta corrente.

A única coisa que precisamos fazer é passar o cartão na maquininha das lojas e o valor é retirado do limite do seu cartão.

Nesse prazo de um mês o emissor do cartão reúne todos os gastos do cartão e enviam uma fatura para liquidação. Quando o pagamento é feito na íntegra, não se paga juros. Mas quando esse valor é pago em parcelas, serão cobrados juros bem elevados.

Basicamente, sempre que seu cartão é passado no terminal de pagamento, o emissor empresta esse dinheiro. A contrapartida é que, no prazo estipulado, esse dinheiro será devolvido. Esse prazo é escolhido por cada um, sendo que o dia seguinte ao de receber o salário é o mais escolhido.

Esse método de pagamento tem crescido muito no Brasil. Entre 1997 e 2010 surgiram mais de 70 bandeiras, empresas responsáveis pela transação feita na máquina de cartões de crédito ou débito.

Empresas envolvidas em uma transação

As transações feitas com cartão de crédito envolvem uma série de empresas, que têm uma função específica. Vejamos quais são.

Adquirente – São as instituições que aceitam o pagamento de uma dada compra ou serviço. Geralmente os adquirentes são os bancos onde o vendedor tem conta aberta.

Credenciadora – Estas são as empresas que ficam responsáveis por alugar os terminais, as maquininhas onde passamos o cartão. São elas também que credenciam os lojistas e ficam responsáveis por fornecer a ligação com a bandeira.

Bandeira – São as empresas que determinam as regras de cada cartão. São as bandeiras que definem a rede de aceitação localmente e mundialmente. As bandeiras conectam os bancos de ambas as partes, do comprador e do vendedor. São também as bandeiras que processam a transação.

Emissor – São empresas que oferecem os cartões. Geralmente os emissores são instituições financeiras. Elas são responsáveis pela liberação do pagamento ao vendedor. Ou seja, é o emissor que dá crédito à pessoa. É ele também que define o limite do cartão, assim como os seus benefícios. É o emissor também que emite a fatura do cartão.

Como funciona a transação

A pessoa oferece o cartão de crédito em uma loja para pagar determinada compra. O vendedor insere o cartão no terminal. As informações do tipo de transação, valor, e número do cartão são transmitidas ao adquirente através da rede da credenciadora.

O adquirente comunica o emissor através da rede da bandeira que pode, ou não, aprovar a compra. Quando a compra é aprovada, a transação é concluída.

O emissor depois transfere o valor da compra para o adquirente através da rede bandeira, sendo este credor do portador do cartão de crédito.

No final do mês, ou no dia escolhido, recebe a fatura com os valores que gastou para liquidar. É nessa altura que o vendedor recebe o dinheiro na conta.

Taxas pagas pelos lojistas

Na verdade, é o lojista quem paga a grande parte dos custos desse sistema de cartão de crédito. A cada uma das vendas realizadas com o cartão é cobrada uma tarifa de desconto. Ou seja, na prática, o vendedor não fica com o valor total do produto. Imaginemos que compramos algo por 100 reais. O vendedor só receberá parte do dinheiro. O credenciador cobra uma percentagem ao estabelecimento comercial, em geral em torno de 5%. Nesse caso, o vendedor receberia apenas 95 reais pela venda.

O lojista tem ainda implícito outra despesa fixa com os cartões de crédito, pois ele aluga o terminal de venda.

À primeira vista parece que os cartões de crédito não trazem vantagem nenhuma para os lojistas. No entanto, eles têm benefícios ao ter essa opção disponível.

Primeiro ele não precisa ir ao banco para fazer o depósito do dinheiro. Além disso, como tem menos dinheiro em caixa, também tem um menor risco no caso de assalto. O uso do cartão de crédito também diminui o risco do lojista receber notas falsas ou cheques sem fundo.

Outra grande vantagem é em relação a competitividade. Num país onde os cartões de crédito proliferam, não ter um terminal é o mesmo que perder clientes. Tendo um terminal ganha para os concorrentes que não disponibilizam o terminal.