1. property="item" typeof="WebPage" >Home
  2. property="item" typeof="WebPage" >cartoes
  3. Compras em viagens internacionais: usar dinheiro ou cartão?

Compras em viagens internacionais: usar dinheiro ou cartão?

Viagens ao Exterior

Em viagens ao exterior, nem sempre é fácil usar dinheiro vivo para as compras e gastos rotineiros. Seja por segurança ou comodidade, andar com dinheiro pode ser um problema. Por isso, o uso de um cartão de crédito internacional se torna uma opção viável para quem está viajando fora do país. Por outro lado, o cartão está atrelado a variações futuras do dólar, além de ser um pouco mais caro.

Portanto surge a dúvida: é melhor usar dinheiro ou o cartão de crédito?

Ambas as opções têm as suas vantagens e desvantagens, que serão expostas neste artigo.

Segurança e Descontos em Compras

Segurança

Seja aqui no Brasil ou em outros lugares do mundo, dinheiro vivo atrai a atenção de criminosos e golpistas.

Além disso, é mais fácil ser enganado com moedas falsas. Em Buenos Aires, na Argentina, por exemplo, um golpe comum aplicado por taxistas é devolver troco a seus passageiros com moedas falsificadas.

Por outro lado, se você se encontrar em uma situação emergencial de saúde, por exemplo, poderá necessitar de dinheiro vivo para pagar remédios e médicos.
Contudo, de um modo geral, na questão de segurança o cartão de crédito leva vantagem em relação ao dinheiro vivo.

Descontos em compras

Em alguns países, é comum a prática de oferecer descontos para compras pagas com dinheiro vivo. Em países com moedas desvalorizadas frente ao dólar, como é o caso de muitos sul-americanos, os comerciantes apreciam pagamentos em dinheiro, especialmente em dólar.

É possível ter bons descontos ao comprar produtos pagando com dinheiro vivo, o mesmo não ocorre com o cartão de crédito.

Desta forma, quando o assunto é negociar com o comerciante um desconto, o dinheiro vivo é trunfo nas mãos do consumidor.

Câmbio, Impostos e Comodidade

Câmbio e Impostos

O câmbio afeta tanto cartões de crédito quanto dinheiro vivo. O câmbio das moedas estrangeiras, em relação ao real, será aplicado para conversões em dinheiro ou posteriormente, ao cartão de crédito.

Com os cartões de crédito, o câmbio sempre será para o dólar. Por exemplo, em uma viagem para um país da Zona do Euro, na Europa, ao fazer as compras em euro, o valor será convertido em dólares e, posteriormente, em reais, para constar em sua fatura.

Já com o dinheiro vivo, as variações das conversões das casas de câmbio seguem o mercado, além de serem aplicadas taxas e impostos ao dinheiro trocado.

Na compra de dólares em papel moeda em casas de câmbio, é cobrado o dólar turismo que é mais caro que o dólar comercial. A justificativa para ser mais caro é o gasto com o manuseio e segurança das moedas fisicamente. O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) cobrado nessa operação é de 1,1%.

No uso do cartão de crédito, geralmente o câmbio utilizado é o do Dólar PTAX (que é muito próximo ao do dólar comercial) acrescido de um spread (que varia geralmente de 1% a 4%). Além disso, o IOF é de 6.38%, o que faz com que o dólar pelo cartão de crédito seja mais caro que o dólar pela casa de câmbio.

Comodidade

Para este ponto, ambos os modos de pagamento têm as suas vantagens e desvantagens.

Imagine-se indo, por exemplo, ao Paraguai, aonde R$ 1 vale quase 2.000 Guaranis, a moeda local. Trocando R$ 500, ao chegar ao país, você terá 1 milhão de Guaranis.
A maior moeda paraguaia é a de 50.000, desta forma, se antes você estava com cinco notas de R$ 100, agora você estará com 20 de 50 mil Guaranis, um verdadeiro bolo de moedas na carteira. Este problema não existe com o cartão de crédito.

Porém, em uma feira de rua, aonde os cartões de crédito não costumam ser aceitos, ou em um país cuja rede de internet e celular não seja adequada e as maquinhas de cartão param de funcionar constantemente, ter dinheiro em mãos será uma grande vantagem.

Conclusão

É recomendado levar tanto dinheiro vivo quanto o cartão de crédito, não optando exclusivamente por uma opção ou outra. Você poderá precisar de ambos durante a viagem, e é sempre bom ter mais do que uma opção.

Procure se informar sobre as tarifas locais, condições do câmbio em cada país e conhecer as moedas. Dessa forma, você evita cair em golpes. Pesquise também sobre a rede de aceitação de cartões no país que irá visitar e verifique se seu cartão de crédito pode ser usado internacionalmente.

Desta forma, você evitará contratempos e surpresas, podendo se focar no que é o mais importante: aproveitar a viagem!