Compras internacionais no cartão de crédito: como funciona e quais as taxas?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Primeiro passo: cartão internacional
  2. Como funciona o pagamento da fatura?
  3. Dólar PTAX + taxa do cartão
  4. Compras no exterior: usar ou não o cartão de crédito?

Para fazer uma compra internacional você não precisa sair do país obrigatoriamente. Basta ter um cartão de crédito internacional e acessar um site do exterior que esteja oferecendo o produto desejado. Mas essa operação vai ser cobrada em dólar e incidirá o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e a PTAX. Desde 2016, a alíquota do IOF é de 6,38% sobre o total da fatura. Portanto, vale a pena ficar atento às dicas para saber quando é melhor usar ou economizar lá fora. Confira!

Primeiro passo: cartão internacional

Antes de mais nada, verifique se o seu cartão de crédito permite compras no exterior. No próprio cartão, deve constar essa informação. Se o seu ainda não está habilitado, consulte a operadora do cartão sobre a possibilidade de aumentar o seu limite e expandir a cobertura de compras. A maioria dos bancos e das instituições financeiras que fornece crédito está apta a entregar cartões com essa função aos seus clientes.

Como funciona o pagamento da fatura?

Com o cartão em mãos você já poderá fazer compras online. Mas lembre-se de que apesar do valor do produto estar em dólares, ao final do mês, você pagará em reais. E o câmbio do dia da compra provavelmente não será o mesmo do dia da fatura, quando é fechada a cotação do seu pagamento ao banco. Ou seja, você pagará o valor do dia que a sua fatura fechar e não do dia da compra. Por exemplo, se você comprou um livro que custa 50 dólares, até chegar a sua fatura o valor total em reais deverá subir. E a esse custo final incidirá o IOF. Fora isso, ainda você ainda pagará taxa do Dólar PTAX e a taxa do cartão de crédito. É por essas e outras razões que nem sempre compensa usar o cartão e você precisa ficar de olho nas oscilações do câmbio.

Dólar PTAX + taxa do cartão

Outra taxa que vale a pena ficar de olho é a do Dólar PTAX. Ela é utilizada especialmente em contratos realizados em dólar, mas tem impacto direto no Dólar Turismo. Para chegar a esse índice, é realizada uma média aritmética entre as taxas de compra e de venda das consultas realizadas diariamente pelo Banco Central. Portanto, a taxa final vai depender desses valores propriamente ditos e influenciar o valor do Dólar Comercial. Quanto maior o Dólar PTAX, mais caro fica comprar no exterior. Os emissores de cartão de crédito ainda cobram uma taxa extra sobre a PTAX, que varia de 1% a 4%, em média.

Compras no exterior: usar ou não o cartão de crédito?

Em uma viagem ao exterior, o cartão de crédito internacional também deverá ser a última alternativa. O mais recomendável é levar a moeda estrangeira em espécie, seja em dólares ou euros. Quando há uma oscilação constante do câmbio, essa diferença poderá ser imensa, inclusive de um dia para o outro. Tente se programar e fazer um acompanhamento dessa flutuação. Se estiver subindo muito rapidamente, é melhor correr logo para a casa de câmbio.

Se não quiser levar todo o dinheiro na mala, poderá também adquirir um cartão pré-pago de débito. Para quem vai ficar mais do que duas semanas em outro país, essa dica é ainda mais valiosa. Andar com muito dinheiro na mão, mesmo em países considerados mais seguros, não é uma boa saída. Divida uma parte em espécie e deposite a outra em um cartão de débito específico, oferecido por agências de viagem. Assim, a taxa de IOF será paga apenas uma vez, o que já garante um bom desconto que sempre é importante para quem não terá o gerente do banco para recorrer com facilidade como se estivesse no Brasil.

Nesse sentido, o cartão de crédito internacional deverá ser usado apenas se o dinheiro acabar e o cartão de débito também ficar com saldo negativo. Dessa forma, você evita pagar em moeda estrangeira no dia da compra e depois receber uma fatura exorbitante por conta do câmbio e do IOF.