Como fazer a portabilidade de um empréstimo consignado?

Por Redação IQ 360

portabilidade-emprestimo-consignado

O empréstimo é uma das maneiras mais comuns de adquirir um financiamento para pagar contas ou outras dívidas acumuladas. De acordo com os especialistas, os empréstimos pessoais são muito comuns e não é raro que virem uma bola de neve. Além dessa modalidade, um dos mais procurados no mercado é o empréstimo consignado, recomendado principalmente para aposentados, pensionistas, servidores públicos ou funcionários de empresas conveniadas a bancos que oferecem essa modalidade.
Isso ocorre porque o pagamento das parcelas é feito diretamente por meio de um desconto do salário. Ou seja, se o solicitante contratou o empréstimo consignado, a cada mês ele vai receber um valor menor do que o salário completo para ir quitando os débitos no período acordado. A legislação garante que a parcela máxima do empréstimo não seja superior a 30% do salário do consumidor. É isso que chamamos de margem consignável.
Para aumentar a sua capacidade de adquirir valores maiores nesse empréstimo, pagando menos juros e aumentando a sua margem consignável, foi regulamentada a portabilidade do empréstimo consignado. Com ela, você tem o direito de levar a sua dívida para um outro banco ou instituição financeira que ofereça condições melhores.
O empréstimo consignado também acaba sendo uma das dívidas mais longas adquiridas pelos consumidores. Então essa busca por um banco mais atrativo acaba sendo natural nesse processo.
Confira a documentação necessária e o melhor caminho indicado pelos especialistas:

Pesquise os juros e os prazos

A primeira etapa é fazer uma ampla pesquisa e simulações em bancos e instituições financeiras, comparando os juros e o tempo que levará para quitar essa dívida. Fale para o gerente quanto você está pagando hoje, tente negociar o máximo possível. Não adianta fazer essa troca se ela não compensar a longo prazo.

Documentos necessários

Para fazer a portabilidade, você vai precisar solicitar no seu banco o boleto de quitação do empréstimo consignado. Somente esse documento vai permitir que o novo banco assuma aquela dívida e você possa efetuar a troca. Mas esse pedido só deve ser feito depois que você escolheu o banco receptor. Além desse boleto, será preciso apresentar o seu holerite ou outro comprovante mensal referente ao salário, comprovante de residência, e os tradicionais RG e CPF.

Informações da dívida

Nessa portabilidade, o novo banco também vai pedir alguns detalhes, como número do contrato, qual é o valor atual da dívida e um extrato que demonstre a evolução do pagamento da dívida. Ele deverá informar para você qual será a nova taxa de juros, o prazo que está sendo oferecido e a data de término, assim como o valor de cada prestação e de outras taxas incidentes.

Prazos e custos

Ao solicitar a portabilidade, é bem provável que o seu banco tente segurar o seu empréstimo por lá, fazendo uma contraproposta. Se você tiver interesse em continuar, leve a melhor proposta que recebeu e tente negociar ainda mais com o seu gerente. Se não quiser, o seu banco terá até 15 dias para liberar a portabilidade por meio de uma TED (Transferência Eletrônica Disponível). Ele também não poderá cobrar por esse procedimento.