Como funciona o consórcio de motos?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Formação dos grupos
  2. Duração do contrato
  3. Sorteios
  4. Pagamento até o fim
  5. Lances

Se você não tem o dinheiro necessário para comprar uma moto à vista, um dos caminhos é recorrer ao consórcio. Assim como os consórcios para carros, as regras são quase as mesmas. Nessa modalidade, uma empresa administradora reúne um grupo de pessoas interessadas em adquirir uma moto. Cada uma delas paga uma mensalidade durante um determinado tempo, até ser sorteado e ganhar o veículo.

Confira os detalhes e saiba como funciona o processo:

Formação dos grupos

Assim como você, existem outros milhares de interessados em comprar uma moto. Reunir essas pessoas é a primeira etapa do processo e cada administradora tem grupos específicos, voltados para um tipo de veículo. Você pode entrar em um grupo que já está formado ou optar por um que esteja em formação.

Duração do contrato

As administradoras que atuam no país oferecem contratos que vão de dois a seis anos. Nesse período, todos os cotistas pagam uma mensalidade fixa mais a taxa administrativa cobrada pela empresa. É com essa taxa que serão realizados os sorteios mensais. Não há taxa de juros incidente nas parcelas.

Sorteios

Não existe um número máximo de sorteios, mas a média é entre um e dois por mês. Em cada um deles, um cotista é contemplado com a carta de crédito para obter a sua moto. Ao ser premiado, o vencedor deverá optar pelo modelo e colocar o vendedor da moto em contato direto com a administradora para que o valor seja pago. Ou seja, o dinheiro não é depositado na conta do consorciado, e sim de quem está vendendo o veículo.

Pagamento até o fim

Ao ser sorteado, o contemplado deverá continuar pagando o consórcio até o fim do contrato. Isso porque todos os cotistas precisam retirar o seu veículo. Os mais sortudos acabam recebendo a moto antes do término, mas se esse não for o seu caso, terá que esperar até o fim do processo.

Lances

Além dos sorteios, é possível fazer um lance para tentar retirar a sua moto antes do final do contrato. Funciona como se fosse um leilão: quem oferece o maior valor, leva. Os que não conseguirem nesta etapa, podem investir o dinheiro na poupança ou em outra linha de investimento para fazer um novo lance no futuro. Também é possível adiantar algumas parcelas do financiamento com esse montante.

Antes de entrar no consórcio de uma moto, faça uma pesquisa no mercado entre as empresas administradoras. Como já dissemos, não existem juros nessa modalidade, mas o valor das taxas administrativas pode variar bastante. Compare, faça simulações, verifique se a parcela cabe mesmo no seu orçamento mensal e se poderá honrar com a dívida até o fim do contrato.