Qual a diferença entre empréstimo com penhor e com garantia?

Por Redação IQ 360

diferença-emprestimo-penhor-e-garantia

Na hora de fazer um empréstimo, sempre buscamos as modalidades que possam oferecer as menores taxas de juros, um maior número de parcelas para quitar a dívida e os bancos ou instituições financeiras que possam oferecer tais condições. Para quem tem um imóvel, veículo, propriedade rural ou industrial, ou ainda joias da família para dar como garantia, essas condições se tornam mais possíveis. Isso porque a garantia do patrimônio diminui o risco do credor e é possível negociar muito mais.
Se esse é o seu caso, a dúvida seguinte passa a ser: melhor penhorar o bem ou pegar um empréstimo com garantia comum? Confira algumas dicas dos especialistas e entenda as diferenças principais:

Empréstimo com garantia

Para quem tem um carro, por exemplo, existe a modalidade de refinanciamento de veículo, quando você pode obter um empréstimo informando que o seu automóvel pode entrar como garantia para o banco de que a dívida será paga. A maioria dos bancos privados e públicos oferece esse tipo de empréstimo, assim como outros em que um bem é oferecido nas mesmas condições. As taxas de juros são muito mais baixas do que se você fizesse um financiamento, um empréstimo pessoal ou se endividasse no cheque especial. Para conseguir esse empréstimo, também haverá uma consulta sobre o seu perfil de bom pagador. Ou seja, se estiver com o nome sujo na praça, já fica muito mais complicado.

Penhor

Segundo os especialistas, o penhor é um pouco mais atrativo para quem tem bens e propriedades. Isso porque o próprio bem já é uma garantia valiosa e em algumas modalidades o CPF negativado não é um empecilho, como no caso do penhor de joias. A burocracia também é muito menor. Se a propriedade está devidamente registrada no cartório oficial que regulariza essas questões, basta apresentar essa certidão e alguns documentos comprobatórios da extensão ou atividade da propriedade para permitir que seja empenhada.
O penhor da Caixa Econômica Federal também possui uma das menores taxas de juros do mercado, o que deixa essa modalidade ainda mais atraente. Ao pagar a dívida, o bem é devolvido sem dificuldades. No entanto, se a dívida não for paga no prazo (que é maior do que as demais opções de empréstimo por garantia), o bem poderá ser apreendido e ir a leilão.

Qual escolher?

Portanto, se você tiver a certeza de que poderá arcar com as parcelas e quitar a dívida no prazo, optar pelo penhor ou qualquer outro empréstimo com garantia é uma boa solução. Caso contrário, se não tem boas perspectivas para os próximos meses ou anos, é melhor analisar outras opções de empréstimo, porque colocar uma propriedade como garantia correndo o risco sério de perdê-la nunca foi um bom negócio.
O IQ também pode ajudar a encontrar o melhor empréstimo. Utilize o nosso simulador e veja qual opção se enquadra melhor no seu orçamento!