É possível desistir de um consórcio?

Por Redação IQ 360

desistir -de-consorcio

O consórcio é um dos meios mais acessíveis para se adquirir um veículo. Ao entrar para um grupo de pessoas interessadas em comprar o mesmo carro ou moto, nesta modalidade os cotistas se comprometem a pagar uma mensalidade fixa até o final do contrato, sem a incidência de uma taxa de juros. Existe apenas a taxa de administração da empresa que realiza os sorteios mensais. A cada mês, um ou mais consorciados são contemplados com a carta de crédito e podem retirar o veículo.
Para quem não possui o valor integral para o pagamento à vista e nem pretende fazer um financiamento de veículos, o consórcio é a melhor opção. No entanto, sabemos que alguns imprevistos podem ocorrer ao longo do período do contrato, especialmente em tempos de crise econômica. Alguns consorciados acabam desistindo do processo ou não conseguem honrar com o pagamento das parcelas.
Confira as dicas dos especialistas de como é melhor proceder nesses casos:

Desistir do consórcio logo no início

Se o consorciado desistir de participar do grupo em até sete dias depois da assinatura do contrato, ele tem direito à devolução do valor total pago à empresa administradora até aquela data. Geralmente, essa entrada é referente à primeira parcela. As taxas administrativas, no entanto, não são ressarcidas.

Cancelamento do consórcio ao longo do contrato

Para os cotistas que desistirem do consórcio durante o período do contrato, o processo é um pouco mais complexo. Uma das saídas mais comuns é vender a cota de consorciado para outra pessoa que possa se interessar em entrar no grupo. Nesse caso, o próprio cotista deverá buscar alguém para entrar no seu lugar. Em último caso, se o consumidor não conseguir vender a sua cota, também é possível esperar o fim do contrato para recuperar o montante pago. Assim, ele receberá a carta de crédito no valor proporcional. O problema é que pode demorar bastante tempo até isso ocorrer, dependendo do momento em que o cotista decidir desistir do consórcio.

Negociar as parcelas do consórcio

Em outras situações, talvez o cancelamento não seja a melhor opção. Se o problema do consumidor é o valor atual da parcela, é possível negociar um preço menor com a administradora do consórcio. Ao optar por esse caminho, porém, é importante lembrar que o valor da carta de crédito também será menor. Ou seja, no sorteio ou ao final do consórcio, o valor para adquirir o veículo será menor e talvez não contemple o modelo que inicialmente você estava querendo comprar e tenha que escolher um veículo bem mais modesto.
O ideal sempre é avaliar as condições de pagamento e tentar estimar a sua capacidade financeira no longo prazo para pagar as parcelas.