Vale a pena fazer um empréstimo para pagar as dívidas?

Por admin

Imagine-se na seguinte situação: você tem dívidas, e não está conseguindo quitá-las por conta dos juros altos que estão se acumulando ao longo dos meses. Essa é uma situação muito delicada, já que você pode perder o controle da sua vida financeira. Nesse caso, uma das formas mais utilizadas pelos brasileiros para pagar dívidas é pedir um empréstimo. Inclusive uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) em parceria com a confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que o principal motivo para se fazer um empréstimo é o pagamento de dívidas.

Mas afinal, vale a pena fazer um empréstimo para quitar dívidas?

A reposta é: depende.

Se você conseguir um empréstimo com um custo total mais barato do que as suas dívidas, então a resposta é sim. Caso contrário, a troca não vale a pena. De acordo com a mesma pesquisa, cerca de 62 milhões de brasileiros tem restrições no CPF, ou seja, são considerados negativados pelo mercado de crédito. Se você pensa em começar a investir, o primeiro passo é liquidar despesas e só então começar a fazer seu dinheiro render.

Fazer um empréstimo com essa finalidade necessita de muito planejamento, pois se feito sem os devidos cuidados pode virar uma bola de neve. Por isso, nesse artigo vamos explicar tudo o que você precisa saber na hora de fazer um empréstimo para tirar sua conta do vermelho.

Você sabe o que é CET?

Custo Efetivo Total, mais conhecido como CET, é a soma de todas as taxas de uma transação financeira. Ou seja, o valor real que você terá que pagar. É muito comum que, na hora de fazer um empréstimo, o cliente se preocupe apenas com a taxa de juros. Isso é um grande erro, pois dentro da contratação de um empréstimo há várias tributações, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), taxa de juros mensal e as outras tarifas da instituição.

Por exemplo, uma oferta de empréstimo com juros de 1% ao mês, à primeira vista pode parecer irrecusável, mas você não paga só isso, e é aí que mora o perigo. Juros de 1% somado ao CET podem ficar muito mais caro do que a sua dívida atual.

Por isso, fique atento: os juros são apenas uma parte do valor a ser pago. É obrigatório que nos sites das instituições o CET seja informado, mas nem sempre essa informação fica explícita. Se quiser saber mais sobre o CET, a gente explica tudo sobre esse custo aqui nesse artigo.

Fique de olho nos juros

Os maiores causadores de inadimplência no Brasil são o cheque especial e o cartão de crédito. O cheque especial é um crédito que fica disponível para quem tem conta corrente. Já no caso do cartão de crédito o problema é o pagamento do mínimo da fatura, que pode se transformar em uma grande dívida.

Os dois ocupam o posto de maiores causadores de dívidas porque têm as taxas de juros mais caras do Brasil. Geralmente quando um banco concede um empréstimo, ele precisa de uma garantia de que aquela pessoa é uma boa pagadora, e no caso do cheque especial e no pagamento do mínimo da fatura do cartão de crédito, essa garantia não existe. Seguindo essa lógica, quanto maior a garantia que a instituição financeira tiver do pagamento da dívida, mais baixos os juros vão ser.

Se você quer procurar a melhor opção de empréstimo para o seu perfil, confira abaixo o Simulador de Empréstimos do IQ 360:

Vale a pena trocar uma dívida por outra?

Trocar uma dívida por outra pode ser muito vantajoso, desde que você pague menos taxas. Imagine que você acabou entrando no cheque especial, ou seja, pegou uma quantia do crédito pré-aprovado da sua conta corrente. Isso significa que você vai ter que pagar o valor que pegou acrescido de juros. Mas as tributações do cheque especial são as mais caras do mercado, e podem chegar a custar 447% ao ano. Essa dívida pode ficar tão cara ao ponto de ficar impagável. Contudo, se você fizer um empréstimo consignado para pagar essa despesa, por exemplo, você pode quitar toda a sua dívida e ficar com juros de apenas 29% ao ano! Percebeu a diferença? Você sai do vermelho e fica com uma dívida menor.

Para exemplificar melhor, nós comparamos um empréstimo de R$ 10.000 pago em um período de dois anos, em três diferentes formas de empréstimo.

grafico emprestimo
Tabela baseada nos dados fornecidos pelo banco do Brasil em 05/2018

Como escolher o melhor empréstimo?

Analise sua situação financeira antes de pedir um empréstimo. Se você der alguma garantia para o banco, como aposentadoria ou for funcionário público, isso aumenta suas chances de ser aprovado em um empréstimo com juros mais baixos.

Existem vários tipos de empréstimos no mercado financeiro, como os consignados, particulares, pessoais, com garantia e muitos outros. Para conhecer melhor os tipos de empréstimos, clique aqui.

No nosso comparador você pode conferir quais empréstimos estão disponíveis para a sua situação financeira: se você é aposentado, se tem algum bem ou até mesmo se está negativado. O comparador também mostra a CET, para você saber exatamente quanto vai ter que pagar.

Se escolhido corretamente, o empréstimo pode ser a melhor opção para quitar suas dívidas.

 

IQ Empréstimos

Na dúvida de qual empréstimo pegar?

O IQ te ajuda a achar o empréstimo certo para o seu perfil!

Simule Agora!