Como saber qual é o empréstimo ideal para você?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Empréstimo pessoal
  2. Empréstimo consignado
  3. Crédito rotativo

Existem muitos tipos de empréstimos, com juros menores ou maiores, dependendo do valor solicitado, da quantidade de parcelas que você optar para quitar a dívida depois, ou até mesmo o tempo de carência para começar a devolver os valores para o banco ou instituição financeira. Os mais comuns disponíveis no mercado são o empréstimo pessoal, o consignado e o rotativo.

Saiba o que levar em conta na hora de escolher um empréstimo para você:

Empréstimo pessoal

Essa modalidade geralmente fica disponível de maneira mais fácil para os clientes que têm conta corrente em um banco, mas também pode ser solicitado em instituições financeiras que fornecem crédito. Ao fazer o pedido ao seu gerente, ele fará uma avaliação no sistema para verificar o seu histórico e se o seu nome não está sujo na praça.

O prazo para receber uma resposta é dos mais rápidos. Na maioria dos casos, em até 24 horas o cliente é acionado para saber se a proposta foi aceita com base no montante pedido e nas condições acordadas. Em seguida, um contrato é elaborado e o dinheiro liberado logo depois.

Os juros do empréstimo pessoal são menores do que os do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito. Porém, se compararmos com os juros dos outros tipos de empréstimos, ele é considerado o menos vantajoso. Por isso, é importante tentar negociar ao máximo antes de assinar qualquer dívida. Procurar outras propostas e comparar essas taxas em outros bancos também ajuda a tomar uma decisão definitiva.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é o mais procurado por aposentados e pensionistas, mas também está disponível para os funcionários de empresas que oferecem essa modalidade. Ao assinar um contrato, o valor será debitado depois diretamente do salário. Por essa razão, as parcelas não podem superar o valor de 30% do pagamento em folha do solicitante.

Se comparado com o empréstimo pessoal, os juros são consideravelmente menores e essa modalidade se torna bem atrativa. Ou seja, para o banco, existe uma garantia maior de que a dívida será paga todo mês, já que o desconto é automático. Para o solicitante, no entanto, é um desconto que vai pesar durante todo período do financiamento, impedindo novos gastos.

Crédito rotativo

O cartão de crédito por si só já uma espécie de empréstimo, visto que oferece um limite que pode ser gasto no período de um mês e a fatura precisa ser quitada na mesma data, todos os meses. Mas e se nesse dia você não conseguir pagar o que deve? É nessa situação que entra o empréstimo rotativo.

O banco ou a instituição financeira acaba pagando o valor que você deixou de pagar, mas ele será incluído nas suas faturas dos meses seguintes e com altíssimas taxas de juros, maiores inclusive que as do cheque especial.

Uma das vantagens é que esse crédito é automático, como se fosse pré-aprovado.  Porém, ele deve ser evitado sempre que possível.