Entenda o que é Financiamento

Por Redação IQ 360

financiamento-carro-o-que-e

O carro geralmente costuma ser o primeiro bem de grande valor que se adquire e a maioria das pessoas acaba tendo contato com os processos de financiamento neste momento. Quando não se tem todo o dinheiro à vista para comprar algo, o único caminho é pagá-lo em prestações, durante um bom tempo. No caso de um automóvel, é importante ter em mente que, além dos valores fixos das parcelas, haverá os custos com combustível, manutenção e seguro.
Depois de fazer uma avaliação que este é mesmo o melhor momento para incluir esses custos no orçamento, a decisão seguinte é qual o tipo de financiamento mais indicado para o seu bolso. Existem três modalidades mais comuns no mercado:

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

Se você tem acesso ao crédito no seu banco, essa pode ser uma forma de ter um financiamento. Bancos como Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Santander e a BV Financeira oferecem essa modalidade.
Para acessar, entre em contato com o seu gerente, negocie o valor total e os juros que vão incidir. Lembre-se que a parcela de qualquer empréstimo não pode superar 30% do salário dos trabalhadores. Ao tratar diretamente com o banco, você também elimina a intermediação de uma concessionária nessa negociação. Nessa modalidade, o carro também ficará em nome do comprador, mas não poderá ser vendido até o término da dívida.

Consórcio de automóvel

Talvez a modalidade mais comum entre os consumidores seja o consórcio. Com ele, você não precisa fazer um amplo financiamento logo de cara e poderá optar por pagar um valor mais em conta, a cada mês. A desvantagem é que pode levar bastante tempo para finalmente ter o veículo à disposição. Na média, o contrato leva até sete anos (84 meses).
Nessa modalidade, uma empresa administradora reúne um grupo de usuários interessados em adquirir um carro. Cada usuário paga prestações fixas ao longo do contrato e poderá obter o automóvel em sorteios mensais. A cada sorteio, um cliente é contemplado com um veículo. Durante o processo, também existe a possibilidade de se fazer um lance, como se fosse um leilão. Cada interessado faz o seu, informando quanto poderá adiantar no pagamento de parcelas a vencer. Aquele que oferecer o maior lance será o contemplado.

Leasing

Alguns poucos bancos também oferecem a opção de leasing. Ou seja, eles alugam o carro para que o consumidor possa usá-lo durante o período da dívida adquirida. Somente ao final, o automóvel finalmente ficará em nome do proprietário. Antes disso, o carro continuará como propriedade do banco. Nessa situação, o interessado também entra em contato direto com a instituição financeira e pode negociar os juros e o valor das parcelas. Portanto, não deixa de ser uma compra, mas o usuário poderá utilizar o carro desde o começo, pagando um valor fixo por mês. É bom pontuar que essa é uma forma rara de ser encontrada no Brasil.
Antes de escolher uma das modalidades acima, lembre-se de fazer simulações de quanto será pago a cada mês, e ao final, e a urgência em adquirir o veículo. O total de juros também poderá ser decisivo nesse processo.