Como financiar um imóvel?

Por Redação IQ 360

financiar-imovel

Comprar um imóvel não é uma tarefa fácil, exige muitos cuidados, muita burocracia e o custo é alto. Como a maioria das pessoas não tem disponível a quantia total do valor necessário para pagar à vista, o meio mais utilizado é o financiamento imobiliário.
A estabilidade registrada na economia do Brasil nas últimas décadas, quando comparamos com os anos 1980, também favoreceu o acesso ao crédito imobiliário, permitindo até mesmo parcelas mais baixas e que cabem no orçamento da população.
Os juros que incidem sobre essas parcelas também baixaram. Com isso, assumir uma dívida de 35 anos para adquirir a casa própria se tornou possível e muito comum entre os trabalhadores. Essa nova dinâmica também impulsionou o setor como um todo.
As construtoras investiram na construção de novos edifícios, as imobiliárias começaram a vender mais unidades do que alugar, e os bancos passaram a fornecer mais empréstimos e financiamentos voltados para a compra de imóveis.
Porém, antes de assinar um contrato é bom ficar atento às recomendações dos especialistas. Confira!

Compare as ofertas e condições

Um financiamento pode levar três décadas para ser quitado. Durante esse tempo, você até pode trocar de banco. Mas é recomendável que desde o começo, ao contratar um empréstimo, você pesquise e faça simulações em instituições públicas e privadas.
A Caixa Econômica Federal é um dos bancos mais tradicionais nessa operação, contudo nem sempre ela pode acabar sendo a melhor opção para o imóvel desejado. Se a casa ou apartamento estiver localizado em uma cidade ou Estado diferente da sua atual residência, por exemplo, já fica mais complicado.

Juros

Compare sempre as taxas de juros e quanto o imóvel vai custar ao final. Às vezes, os valores das primeiras parcelas também enganam, é preciso acompanhar a estimativa da dívida a longo prazo. Em algumas simulações, você verá que o preço final pode variar até 30% de um banco para o outro!

Idade do titular

Na maioria dos bancos, a idade mínima para assumir um financiamento imobiliário é de 18 anos. A última prestação também só poderá ser paga até os 80 anos. Portanto, o cálculo para liberar um financiamento está diretamente relacionado ao valor total da dívida, o número de parcelas, o valor de cada parcela e a idade do titular. Quanto mais velha a pessoa, menor será o número máximo de parcelas e, consequentemente, maior será o valor de cada uma delas.

Perfil de crédito

Além da idade, os bancos avaliam o seu perfil de bom pagador – o perfil de crédito. Se estiver com o nome sujo na praça, será praticamente impossível conseguir um financiamento. Portanto, antes de começar a pensar em adquirir um empréstimo imobiliário, consulte os sites do SPC e da Serasa para ver se o seu CPF está liberado.

Avaliação do imóvel

O valor que será dado como crédito também depende de uma avaliação do próprio banco que está disposto a financiá-lo. Portanto, os técnicos farão uma visita ao imóvel para verificar se o valor de venda está compatível com o valor solicitado ao interessado em comprá-lo e qual é o tipo de financiamento mais adequado.

Documentos e contrato

Depois de avaliar o imóvel, o comprador deverá entregar uma série de documentos ao banco, que fará a verificação e validação. Em seguida, as duas partes assinam o contrato e a dívida é adquirida para ser paga em até 35 anos.