O que é um empréstimo

Por Redação IQ 360

A maioria das pessoas sabe que o empréstimo envolve dinheiro e pagamentos, mas você sabe realmente o que é? O empréstimo nada mais é do que um contrato entre alguém e uma instituição financeira que fornece uma determinada quantia em dinheiro, que deve ser devolvida em um prazo pré-estabelecido, com acréscimo de juros e encargos. Essa quantia não precisa ter necessariamente uma destinação específica, o cliente pode usar como quiser.

Os empréstimos podem ser fornecidos por bancos ou outras instituições financeiras, que devem ser obrigatoriamente cadastradas no Banco Central, que regula a operação de valores no país. Nenhuma dessas entidades é obrigada a conceder empréstimos, embora as que fazem, têm a liberdade de estabelecer critérios próprios ao oferecê-los, como a renda mínima, taxas de juros, prazos etc.

Entenda que, apesar de parecidos, empréstimo e financiamento são duas coisas diferentes. Ambos são oferecidos por bancos ou instituições financeiras, mas enquanto o primeiro não precisa ter destinação específica, o segundo tem o objetivo efetivo de facilitar a compra de algo, como um imóvel ou carro, por exemplo. As taxas de juros também são distintas, pois no financiamento há o bem comprado como garantia, caso o valor não seja pago.

No que prestar atenção ao pedir um empréstimo?

Você está precisando de uma quantia em dinheiro e pretende pedir um empréstimo? Atenção, antes de tudo, pesquise as taxas de juros e condições oferecidas pelas instituições financeiras. Não se esqueça de conferir se estão autorizadas no Banco Central (BC) e no caso de empréstimo consignado (aposentados e pensionistas) se é conveniada ao INSS. É possível conferir as taxas de juros praticadas no Brasil por meio do site do próprio BC.

Para evitar cair em fraudes, não aceite a intermediação de pessoas que prometem acelerar o crédito, não forneça seu cartão ou senha do banco a terceiros, não faça pagamentos antecipado para liberação do dinheiro, e cuidado com juros muito abaixo do mercado. Só peça empréstimos em instituições autorizadas e certifique-se de que é realmente a empresa e não alguém se passando por ela. E por fim, nunca assine contratos ou qualquer documento sem antes ler o que está escrito.

Agora que você já conferiu os custos e escolheu a instituição financeira onde vai pedir o empréstimo, saiba que no momento da contratação você precisa ser informado a respeito do Custo Efetivo Total (CET), que mostra o valor total a ser pago, incluindo o montante recebido, taxas, tarifas etc.

Antes de assinar o contrato, atenção às multas e encargos em caso de atraso de pagamento. Além disso, o Conselho Monetário Nacional (CMN) possui regras que garantem o direito ao pagamento antecipado pelo cliente, com redução proporcional de juros. Fique atento que as condições referentes a isso devem ser informadas antes da assinatura do contrato.

Existem dois tipos principais de empréstimos que podem ser solicitados aos bancos e instituições financeiras: pessoal e consignado. No primeiro caso, qualquer pessoa pode pedir e o pagamento é definido a partir do acordo com a instituição. No segundo, apenas funcionários públicos, aposentados e pensionistas podem fazer, e as parcelas não podem ultrapassar 30% da renda total e são debitadas diretamente da folha de pagamento ou benefício.