Passo a passo: como financiar sua moto

Por Redação IQ 360

financiamento-de-moto

O preço de uma moto nova costuma ser muito mais barato do que o de um carro zero, mas nem por isso o pagamento à vista acaba sendo uma regra. Em muitos casos, o financiamento é a melhor opção para adquirir o veículo. Funciona como uma modalidade de empréstimo, mas com algumas especificidades.
Confira as dicas dos especialistas para fazer o melhor negócio:

Pesquise as melhores condições

Para financiar a sua moto, o primeiro passo é pesquisar as condições oferecidas pelos bancos e instituições financeiras. Fale primeiro com o gerente do banco em que você já é correntista, explique que gostaria de adquirir um financiamento e negocie as taxas de juros e o tempo de parcelamento. Em seguida, faça o mesmo em outros bancos, simule quanto de dinheiro precisaria pegar emprestado e o prazo para quitar a dívida.

Liberação do crédito

Para que o banco empreste o dinheiro necessário para financiar a sua moto, ele fará uma análise do seu perfil de bom pagador. Ou seja, se o seu nome estiver sujo, dificilmente o valor será liberado. Portanto, o primeiro passo é verificar se o seu CPF está limpo nos bancos de dados da Serasa e do SPC. Se não estiver, é melhor pagar as dívidas atrasadas e só depois tentar o financiamento.

Parcelamento

Lembre-se que um financiamento é o parcelamento de uma dívida que você adquiriu em um banco e que haverá parcelas com juros. Portanto, antes de assinar um contrato, verifique a sua capacidade financeira de honrar com a dívida. Se as parcelas não couberem no seu orçamento mensal, talvez o ideal seja esperar um momento melhor.

Valor de entrada

Em tempos de crise econômica, as concessionárias costumam oferecer descontos e preços mais atrativos, algumas nem cobram o preço da entrada. No entanto, se você não vai pagar à vista, essa entrada será cobrada no financiamento que você vai solicitar ao banco. Portanto, quanto maior for o valor inicial, maior é a chance de você conseguir um financiamento atrativo, com menos parcelas e melhores taxas de juros. Para isso, os especialistas recomendam que seja feita uma boa poupança antes de pedir um financiamento.

Documentos necessários

Depois de juntar o valor da entrada e escolher o banco que fará o financiamento, é hora de assinar o contrato. Para isso, será necessário apresentar os seus documentos pessoais, como RG e CPF, além de um comprovante de residência e comprovante de renda. Para funcionários públicos ou da iniciativa privada, será solicitado o holerite. Autônomos e freelancers precisarão de algum outro tipo de documento que comprove a renda, como extrato bancário, imposto de renda ou outro elaborado pelo seu contador.