Qual o limite de parcelas para pagar um empréstimo?

Por Redação IQ 360

limite-parcelas-para-pagar-emprestimo

Quando solicitamos determinado valor emprestado aos bancos ou instituições financeiras, assinamos um contrato onde fica estabelecido o número de parcelas em que a dívida será quitada pelo mutuário. Antes de fechar esse contrato, é fundamental fazer um bom planejamento de quanto tempo você vai precisar para pagar a dívida toda. Quanto maior o número de parcelas, mais juros incidirão sobre cada uma delas.
Portanto, além de entender quanto dinheiro efetivamente você vai precisar e poderá pagar, é importante ter em mente o valor no longo prazo. Muitas pessoas têm dúvidas sobre o número de parcelas e se existe um limite para elas.
Se esse é o seu caso, confira algumas dicas dos especialistas:

Não há regra

Assim como o valor de um empréstimo depende muito do perfil do cliente, o número de parcelas também vai ser determinado de acordo com a capacidade do mutuário em honrar todos os meses com aquela nova dívida. A única regra de ouro é que não é recomendável comprometer mais do que 30% da renda no pagamento mensal de dívidas. Se o empréstimo que você está pensando em fazer for consignado, essa regra é ainda mais válida, porque existe a margem consignável até esse teto sobre o salário.

Perfil de bom pagador

Se você já conhece o seu gerente e está acostumado a negociar com ele, talvez já conheça esta dica. Os clientes bons pagadores são aqueles que têm as contas em dia, honram com as parcelas de empréstimos anteriores e, portanto, mantêm o nome limpo na praça. Com isso, é possível negociar um número maior de parcelas e com juros menores. Se o seu salário é fixo, essa chance também fica maior, visto que o banco terá algum indicador de que mesmo no longo prazo a dívida poderá ser paga.

Contabilize os juros e o número ideal de parcelas

De todas as formas, sempre vale a dica de avaliar a sua real capacidade para honrar com o empréstimo que pretende adquirir, examinando qual seria o número ideal de parcelas. Compare as taxas de juros em outros bancos, mesmo se o seu banco lhe parecer atrativo desde o começo. Se o seu histórico é positivo e um outro banco ofereceu condições melhores para o valor que você estava cogitando, talvez seja uma boa opção apresentar essa oferta ao seu gerente para ver se ele cobre para manter o seu empréstimo por lá. Se isso não acontecer, trocar de banco pode ser um caminho considerável.
O IQ também pode ajudar a encontrar o melhor empréstimo. Utilize o nosso comparador e veja qual opção se enquadra melhor no seu orçamento: