Tenho empréstimo consignado e fui demitido, e agora?

Por Redação IQ 360

tenho-emprestimo-consignado-e-fui-demitido

Ser demitido e ainda acumular a dívida do empréstimo consignado é uma realidade cada vez mais comum entre os brasileiros. A preocupação com esse fato ocorre porque continuará cabendo ao agora ex-funcionário o pagamento das parcelas restantes.
Portanto, antes mesmo de assinar um contrato de empréstimo consignado, é fundamental ler bem todas as cláusulas e ter essas informações em mente desde o início. Se você foi demitido e nem sabe como começar a agir, fique atento as dicas!

O que é o empréstimo consignado?

Para começar, lembramos que o empréstimo consignado é aquele cujas parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento. Portanto, só é liberado para quem tem carteira assinada e um salário fixo. O valor das parcelas também não pode ser superior a 30% da renda do trabalhador. As empresas privadas que oferecem essa modalidade de crédito aos seus funcionários são aquelas que têm um convênio direto com os bancos.

Demissão e dívida

Em caso de demissão, não importa se foi o funcionário que pediu o desligamento da empresa ou se ele foi demitido. A dívida continuará existindo. Outro alerta importante é com relação aos contratos: na maioria deles, existe uma cláusula que autoriza a empresa a descontar 30% da sua rescisão para o pagamento da dívida do crédito consignado. Verifique se o documento assinado por você prevê isso. Se ainda não assinou, peça para retirar essa determinação se não quiser ter essa obrigatoriedade lá na frente, ficando mais livre para negociar a dívida com o seu banco depois.

Juros mais altos e negociação

Assim que você for informado da demissão, o passo seguinte é avisar o banco sobre essa nova situação, perguntando como será o procedimento dali em diante. Os especialistas também alertam que é comum os bancos aumentarem a taxa de juros desse empréstimo, já que a certeza do pagamento das próximas parcelas fica comprometida. Tente negociar com o seu gerente, verificando o seu novo orçamento e em quantas parcelas poderá renegociar.

Mudança de emprego

Se a sua saída da empresa foi motivada pela mudança de emprego, talvez a dívida não seja tão assustadora quanto parece. Verifique na nova empresa se existe algum convênio dela com o seu banco para crédito consignado. Se houver, você pode tentar a portabilidade da dívida. Se não for possível, avise seu gerente sobre o seu novo trabalho, qual é o novo salário e conversem sobre como você poderá renegociar as parcelas faltantes e etc.