Abrir conta no exterior para intercâmbio vale a pena?

Por Redação IQ 360

abrir-conta-exterior-intercambio

Quando você decide fazer intercâmbio no exterior é necessário tomar várias decisões, começando pelo destino e a instituição de ensino onde vai estudar.
A partir daí é preciso correr atrás dos documentos.  Para o intercâmbio você vai precisar de visto de estudante, se o país em questão exigir, e passaporte, que precisa ser solicitado com antecedência na Polícia Federal.
Quando você chegar no destino, precisará apresentar na imigração, ainda dentro do aeroporto, a carta de aceitação da escola, o seguro saúde, a carteira de vacinação em dia e cópia da passagem de ida e volta.
Outro item indispensável é o extrato bancário, para comprovar que você tem condições financeiras suficientes para realizar o intercâmbio. Este último item levanta um tema importante: como levar dinheiro para o intercâmbio? Vale a pena abrir uma conta no exterior?
Existem várias formas de levar o dinheiro para o exterior, que pode ser em espécie, cartão pré-pago ou cartão com função internacional.
Mas cada uma destas opções esbarra no fato de incidir IOF e usar a cotação turismo para a moeda do país destino. Na ponta do lápis o saldo final pode ser muito mais caro. Neste caso a melhor opção é abrir uma conta no país onde irá estudar. A grande vantagem é fugir o IOF e usar a cotação comercial.

Mas afinal, o que é IOF?

O IOF é o Imposto sobre Operações Financeiras que é cobrado em todas as operações de câmbio. As porcentagens são diferentes em cada tipo de operação.
As taxas de câmbio são cobradas quando você faz a conversão do real para a moeda estrangeira e vice-versa. Esta taxa não é fixada pelo Banco Central e o valor das taxas vai depender do que será oferecido pelo operador de câmbio, seja corretora, banco, agência de intercâmbio.
Essa taxa varia ainda de acordo com destino escolhido, a forma que a moeda estrangeira será entregue e quanto você irá comprar. No site do Banco Central há uma lista com o ranking das taxas de câmbio das principais corretoras do país.

Então abrir a conta no exterior é a melhor opção?

Com certeza. A conta em um banco no país de destino permitirá que você faça todas as operações que faz no Brasil, ou seja, poderá usar a função débito, crédito e ter talão de cheques, por exemplo.
Outra grande vantagem é que você pode enviar e receber dinheiro por meio da remessa internacional. Essa transação é chamada de SWIFT.
O SWIFT usa a moeda com cotação comercial, ficando mais barata no final das contas.  E também é bem rápido, com prazo de dois a três dias para efetivar o crédito.

Como abrir uma conta no exterior?

O processo é bem parecido com o de abrir uma conta no Brasil. Inclusive pode ser feito daqui antes de viajar, o que é recomendável, pois você já sai do país com a segurança de ter acesso ao seu dinheiro.  Alguns países exigem apenas que o cliente explique seus motivos para abrir conta, mas é um procedimento simples.
Vários bancos brasileiros abrem contas internacionais porque têm parceiros em vários países. O Banco do Brasil, Bradesco, a Caixa Econômica Federal e Santander são algumas opções de instituições brasileiras que oferecem esse serviço.