4 passos para alugar um imóvel pela primeira vez

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Como e onde encontrar um imóvel
  2. Valores e taxas
  3. Fiador, caução ou seguro fiança
  4. Vistoria, documentação e contrato

Antes de assinar o contrato de aluguel de um imóvel é bom ficar atento para todos os detalhes que isso implica. Se você estiver alugando uma casa ou apartamento pela primeira vez, essa recomendação é ainda mais importante. Além de escolher um novo lugar para morar, você estará assumindo um compromisso financeiro por ao menos 30 meses e que terá aumento de preço ao longo do tempo.

Por essas e outras razões, confira algumas dicas que serão bastante úteis:

Como e onde encontrar um imóvel

Para escolher o imóvel mais adequado às suas necessidades, leve em conta não apenas a casa ou o apartamento em si. A localização também faz toda a diferença, tanto na sua rotina (distância do trabalho, acesso ao transporte público e ao lazer), como no valor que será cobrado. O tamanho do imóvel, da mesma forma, interfere bastante nisso. Pesquise bem antes de decidir.

Valores e taxas

Durante o período do contrato de locação, você terá um valor fixo referente ao aluguel propriamente dito e mais alguns encargos. Mesmo se o seu contrato for de 30 meses, a cada 12 meses esse valor sofrerá reajustes de acordo como índice afirmado no contrato (geralmente o IGP-M, que é o índice que mede a inflação e abarca os aluguéis).

Além disso, será incluída a taxa do condomínio e o IPTU. Se você escolher um imóvel em uma região bem valorizada, é provável que o valor do IPTU seja bem alto.

Quanto mais serviços o condomínio oferecer, maior será o preço também. Como essas taxas são obrigatórias, tente negociar o valor do aluguel com o proprietário para que a conta geral fique menos exorbitante.

Fiador, caução ou seguro fiança

Ao assinar um contrato de locação, você também deverá dar alguma garantia para o proprietário. Se tiver alguém para ser o seu fiador, essa é a opção mais em conta. Mas essa pessoa deverá ter um imóvel em seu nome e não poderá estar com o nome sujo. Na maioria dos casos, também deverá ser residente na mesma cidade.

Quem não tiver essa possibilidade, poderá optar por outras duas. A caução é quando você deposita em uma conta conjunta com o proprietário o valor de três aluguéis. Ao final do contrato, esse valor volta para você ou pode ser negociado como os últimos três meses de pagamento.

Outra opção comum no mercado é o seguro fiança, quando uma seguradora é acionada para resguardar o valor de três aluguéis pago por você antecipadamente. Com isso, você adquire um título de capitalização, por exemplo, que vai render juros ao final. Nesses dois últimos casos, se você não honrar a parcela do aluguel, o proprietário poderá retirar o valor para cobrir a dívida.

Vistoria, documentação e contrato

Já ciente de todos esses encargos, fique atento à situação do imóvel e cuide para que todos os eventuais danos constem no contrato. Assim, eles não serão cobrados de você ao final. Para isso, faça uma vistoria cuidadosa, apontando eventuais consertos necessários antes da mudança. O que não puder ser consertado, deve estar descrito como defeito do imóvel.

Para assinar o contrato, você vai precisar entregar cópias dos documentos de identificação, além de holerites (para servidores públicos ou funcionários de empresas) ou mesmo a declaração do último imposto de renda (para profissionais autônomos). No contrato, tente incluir uma cláusula que o libere da multa caso queira sair do imóvel antes dos 30 meses. Algumas imobiliárias aceitam isso depois de 12 ou 18 meses de locação.