Como organizar suas finanças sendo autônomo

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Faça uma planilha dos seus gastos
  2. Poupar e investir
  3. Pagamento de dívidas

Os profissionais autônomos são aqueles que trabalham por conta própria e não recebem um salário fixo por mês. Ou seja, estão mais vulneráveis às oscilações do mercado, seja em termos de oferta de trabalho, seja na capacidade dos seus clientes de honrar com o pagamento pelos seus serviços. Em tempos de crise econômica, os autônomos precisam estar ainda mais atentos às probabilidades de que as suas contas não fechem no final do mês. Afinal, os impostos e os boletos chegam para todos, inclusive para os profissionais liberais.

Confira as dicas dos especialistas para tentar manter as contas equilibradas:

Faça uma planilha dos seus gastos

O primeiro passo para quem não quer entrar no vermelho é se planejar. Fazer uma planilha com todos os seus gastos e ver se eles estão compatíveis com a faixa de remuneração que você costuma receber é fundamental. É nesse momento que você poderá visualizar onde está gastando mais e o quanto poderá economizar, se preparando para períodos de escassez de trabalho e renda. Para isso, é importante guardar todas as notas fiscais, os comprovantes dos cartões de débito e crédito, as suas faturas e boletos. Mantenha o hábito de reservar um dia do mês para organizar tudo isso e vá preenchendo o seu Excel aos poucos. Para economizar, é preciso ter disciplina. Aproveite para envolver as crianças nesse processo, assim elas poderão aprender desde cedo como funciona uma economia doméstica.

Poupar e investir

Para quem trabalha por conta própria, reservar uma parte dos seus rendimentos para poupar e investir é vital. Em tempos de maior bonança, os especialistas recomendam que essa parcela seja maior. Ou seja, não saia gastando se você não tiver uma boa reserva para períodos de escassez. Dependendo dos seus gastos com moradia, por exemplo, ter uma economia equivalente a três meses de salário é o ideal. Períodos como janeiro, fevereiro e julho, que são meses de férias, costumam ser os mais problemáticos para quem é autônomo. A não ser que você trabalhe com turismo e a sua atividade pode ser facilmente remunerada no verão. Se não é o seu caso, guarde dinheiro e esteja preparado para vários cenários diferentes.

Pagamento de dívidas

Depois de organizar as suas finanças e economizar uma parcela da sua remuneração para investimento, o passo seguinte é saber quanto vai sobrar para pagar as dívidas. Como já dissemos, os autônomos não têm tanta segurança de recebimento de receitas, portanto gastar não deve ser a primeira opção. Se puder abater os juros de dívidas antigas, isso também ajuda muito a não postergar tanto a conta total. Economize e se planeje para não ter péssimas surpresas depois.