Como viajar com o dólar alto?

Por Redação IQ 360

como-viajar-com-o-dolar-alto

Planejando fazer uma viagem internacional, mas o dólar alto tem feito você pensar duas vezes? Realmente pense duas, três ou até quatro vezes e faça mudanças inteligentes para programar sua viagem. Veja algumas dicas que podem te ajudar e planeje uma maneira de viajar sem se preocupar com seu bolso.

Data da viagem

Fuja das altas temporadas. No período de férias, nos meses de janeiro, julho ou dezembro tudo fica mais caro nas cidades turísticas. Também se atente a feriados locais, que também pode encarecer seu passeio.

Milhas, milhas e milhas

As milhas podem ser usadas para a compra de passagens, hospedagens e até para o aluguel do carro. Se você ainda não tem milhas é hora de começar a acumular. Confira quais são os 6 melhores cartões para acumular milhas.

Compre dólares

As casas de câmbio oferecem o dólar turismo com cotações diferentes. Por isso é preciso pesquisar bem!
No Banco Central do Brasil há um ranking atualizado listando as instituições financeiras que oferecem o menor Valor Efetivo Total – VET – para a compra do dólar.  Não se esqueça de checar se a casa de câmbio escolhida cobra alguma taxa de serviço. Esta taxa pode influenciar o preço final.
Outra dica é acompanhar a flutuação do dólar para comprar o dinheiro quando a moeda estiver em baixa. Isso pode fazer toda a diferença no seu orçamento.

Economize na hospedagem

Sim, é interessante economizar na hospedagem, mas avalie bem a localização.  Será que vale a pena economizar demais na hospedagem e ficar longe demais dos pontos turísticos e centros comerciais?
Uma opção é abrir mão do luxo. Você pode se hospedar em hotéis, hostels e pousadas mais simples. Elas podem não ter uma vista maravilhosa ou quartos grandes, mas podem oferecer o mínimo de conforto e excelente localização. Mais uma opção é partir para a economia compartilhada, que tal tentar o Airbnb?
Você também pode usar e abusar dos sites agregadores Booking, TripAdvisor, Hotels.com e comparar os preços!

Transporte

Fuja do táxi. Em vários países as opções de transporte público são excelentes. Se você não abre mão do carro, a opção é o aluguel. Outra alternativa é o uso de aplicativos semelhantes ao Uber. O Lyft, por exemplo, atua em 59 cidades norte-americanas.

Roteiro

Para evitar ser pego de calças curtas, monte um roteiro. Assim você pode ter uma noção do quanto vai gastar nos passeios escolhidos. Isso não quer dizer que você vai se engessar, mas vai ajudar a montar o orçamento da viagem.
Uma dica é incluir passeios gratuitos ou mais baratos, para deixar mais verba para aquele passeio famoso e que você não pode perder.

Limite de gastos diários

Defina um limite de gastos que você pode ter por dia. Assim seu dinheiro vai durar até o fim da viagem. Se sobrar, guarde para fazer compras nos últimos dias.
Importante: fuja do cartão de crédito, só use em caso extremo de emergência. A cotação do dólar que você pagará será do dia do fechamento da fatura e não no dia do gasto, isso sem falar do IOF. Veja aqui como usar cartão de crédito para compras internacionais.