3 passos importantes para contratar um bom funcionário

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Anuncie bem a vaga
  2. Análise do currículo
  3. Avaliação da entrevista

A contratação de novos profissionais depende de uma série de fatores, especialmente em tempos de crise econômica e baixa capacidade das empresas em renovar o seu quadro de pessoal. Quando um setor precisa de mais funcionários do que a empresa consegue admitir e é necessário escolher apenas um novo colaborador, essa seleção acaba sendo mais difícil para o departamento de recursos humanos.

Ou seja, de um lado, existe a forte concorrência entre candidatos desempregados ou que estão buscando um emprego melhor. Do outro, a empresa precisa ser muito assertiva para contratar a pessoa mais adequada para não ter que refazer o processo seletivo, perdendo ainda mais tempo no futuro.

Confira algumas dicas dos especialistas para não errar:

Anuncie bem a vaga

Se a sua empresa pretende abrir um amplo processo seletivo para conhecer os profissionais do mercado que podem se interessar pela vaga, o primeiro passo é buscar agências de emprego, sites que fazem a intermediação entre empresas e profissionais ou até mesmo em grupos do Facebook com foco em empregos e vagas. Quanto mais informações sobre a vaga você disponibilizar, maior a possibilidade de atrair pessoas que concordem com as suas condições.

Alguns empregadores ficam receosos de informar o salário oferecido ou até mesmo o nome da empresa, buscando despistar a concorrência. Mas isso pode acabar dificultando a busca pelo funcionário ideal. Informe os benefícios e inclua um campo em que o candidato possa indicar a sua pretensão salarial. Descrever o perfil da vaga também é fundamental. Quanto mais informações sobre as tarefas, melhor o candidato poderá refletir se está apto ou não.

Análise do currículo

Ao receber uma grande quantidade de currículos de candidatos interessados, os especialistas elencam as prioridades que geralmente são levadas em conta: experiência na área, formação acadêmica, experiência com supervisão e gestão de pessoas e resultados alcançados. Sendo assim, ter graduação, pós-graduação e cursos de extensão na área de atuação da empresa é muito importante, mas a atuação em empregos anteriores conta ainda mais. Se o candidato foi chefe e os seus resultados foram significativos, as chances de ele conseguir repetir isso na sua empresa crescem.

Avaliação da entrevista

Passada a fase do currículo, os candidatos mais bem preparados são chamados para uma dinâmica de grupo ou entrevista. Como os selecionadores já tiveram a chance de ler o currículo, eventualmente checaram as informações em detalhes, agora nesta etapa o que deve ser avaliado é a capacidade de se relacionar bem e o entusiasmo dos candidatos. Isto é, provocar algumas situações em que os aspirantes à vaga tenham que se comportar como se estivessem na empresa, e qual é o grau de motivação que eles apresentam para trabalhar diariamente lá. Para isso, o setor de recursos humanos deve questionar os motivos que levaram o candidato até aquela etapa, como ele se vê na empresa, como conquistou os resultados anteriores, de que forma ele pretende contribuir com a sua empresa etc. Essa análise da desenvoltura é essencial para se chegar ao selecionado ideal.