Quanto dinheiro você precisa para morar sozinho?

Por Emily Moura

Índice de Conteúdomenu

  1. Defina como e onde quer morar sozinho
  2. Como calcular as novas despesas
  3. Reserva de emergência

Morar com os pais é realmente muito cômodo, já que você não tem que se preocupar em manter uma casa sozinho. Mas muita gente sonha em sair da casa dos pais, seja por independência, morar perto do trabalho ou até mesmo para viver novas experiências. Porém, antes de arrumar a mudança, é bom calcular qual vai ser o seu gasto, e se você pode mesmo se aventurar nessa nova etapa da sua vida.

Defina como e onde quer morar sozinho

Os gastos de alguém que decide morar sozinho podem variar muito: decidir entre casa ou apartamento, local, se vai comprar ou alugar e se prefere dividir a moradia com alguém ou morar realmente sozinho. Por isso, antes de sair da casa dos pais, planeje onde e como vai morar. Uma forma para facilitar suas escolhas é priorizar pelos motivos que você decidiu sair de casa.

Por exemplo, você quer sair de casa para morar mais perto do seu trabalho. Então, você precisa pesquisar quanto custa morar nesse novo bairro. Além disso, se você não se importar, pode compartilhar a moradia com um amigo, para dividir as despesas.

Em outro cenário, vamos supor que você queira morar sozinho porque quer ser mais independente e não gosta de morar com outras pessoas, você pode escolher uma casa em uma localidade intermediária das suas tarefas. Isso dá mais liberdade para escolher uma moradia com melhores preços, pois você não tem uma região como critério.

Como calcular as novas despesas

Quando você mora na casa dos seus pais é muito difícil visualizar todas os custos de manter uma casa e uma vida financeira saudável. Por isso, vamos te ajudar a calcular e priorizar suas despesas.

Antes de tudo, tenha em mente que você não poderá comprometer todo o seu salário com despesas fixas. Imprevistos acontecem o tempo todo e quando se mora sozinho isso é ainda mais comum. Seu chuveiro pode queimar, o gás pode acabar, ou aquela prima que você não vê há anos decidir ir na sua nova casa e você vai precisar fazer um jantar especial. Por isso, é recomendado que você comprometa entre 50% ou 60% do seu salário com as despesas fixas essenciais.

Na hora de fazer seu orçamento, separe suas despesas entre essenciais e supérfluas. As essenciais são todas aquelas que você não pode viver sem, como moradia, alimentação e as que são fixas todos os meses. Alguns exemplos são:

  • Aluguel/prestação da casa
  • Água e luz
  • Condomínio
  • IPTU
  • IPVA
  • Transportes: combustível do carro/ passagem de ônibus
  • Estudos
  • Internet
  • Alimentação
  • Higiene básica

As despesas supérfluas são aquelas que você pode cortar se o seu orçamento apertar, ou que você não precisa delas para sobreviver. Alguns exemplos são:

  • Assinatura de canais
  • Clube
  • Academia
  • Lazer em geral, como cinema, teatro e festas

Dentro do cálculo das suas despesas você deve incluir uma quantia para investir. Muitas vezes temos o péssimo hábito de encarar o investimento como algo relacionado ao “dinheiro que sobra no fim do mês”. Esse tipo de pensamento é prejudicial para sua saúde financeira.

Coloque o investimento como fixo em seu orçamento. Não precisa ser muito, com trinta reais você já consegue investir no tesouro direto, por exemplo.

Reserva de emergência

É importante pensar em tudo antes de se mudar. E um passo importante do planejamento, antes mesmo de arrumar as malas, é a sua reserva de emergência. Quando você mora com os pais, pode contar com a ajuda deles se ficar doente ou se precisar de dinheiro emprestado. Porém, morando sozinho esse aspecto muda de cenário e fica um pouco mais difícil. Por isso, antes de sair da casa dos seus pais, vá juntando e investindo dinheiro para sua reserva.

Vamos supor que seu gasto mensal fixo seja de R$ 2.500. Para fazer a reserva você deve juntar pelo menos seis meses de despesas fixas, que equivalem a R$ 15.000. Pode parecer um valor muito alto, mas é uma quantia de segurança caso você fique impossibilitado de trabalhar, seja demitido ou fique sem renda por algum motivo. Assim, você não corre o risco de ficar com a conta no vermelho ou até mesmo perder sua casa.

Ter uma boa saúde financeira antes mesmo de se mudar é fundamental para que você não tenha problemas quando for morar sozinho. Então, se você estiver pensando em morar só, comece desde agora a se planejar e a organizar suas finanças. Nós do IQ 360 temos vários artigos para ajudar você a ter uma boa relação com seu dinheiro e aprender a cuidar dele com carinho.