Endividado: como se livrar das dívidas?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Diagnóstico das finanças
  2. Juros
  3. Planejamento
  4. Corte de gastos
  5. Objetivo

Com a crise econômica e o aumento do desemprego, os índices de endividamento da população brasileira estão aumentando. A maioria dos débitos é com bancos e instituições financeiras, principalmente por causa do cartão de crédito e cheque especial, que possuem juros altos que podem quadruplicar o valor original da dívida em até um ano.

Pessoas endividadas geralmente gastam mais do que ganham e as dívidas desorganizam ainda mais as finanças. Um dos maiores erros é a falta de planejamento e organização, quando o ideal é monitorar os gastos para eliminar despesas desnecessárias e reequilibrar as contas.

Por pior que seja a situação, sempre é possível reverter o problema e reaver a tranquilidade e saúde financeira. Para ajudá-lo, listamos a seguir dicas do que pode ser feito para sair do vermelho e deixar as dívidas para trás.

Diagnóstico das finanças

Liste todas as suas dívidas e custos mensais, saiba exatamente o quanto está devendo e para quem, quais os juros cobrados por cada um e se seu nome está no cadastro de serviços de proteção ao crédito como o SPC ou Serasa. É preciso entender o que aconteceu para definir qual o primeiro passo para reorganizar a situação. Anote também sua renda atual e os gastos indispensáveis, assim será possível definir o quanto do seu orçamento poderá ser destinado mensalmente para o pagamento das dívidas.

Juros

Agora que você sabe o quanto e para quem está devendo, é preciso descobrir qual dos credores está cobrando os juros mais altos. Ou seja, descobrir qual dívida está crescendo mais rapidamente. O ideal é definir qual a melhor estratégia para quitá-la, por isso descubra qual era o valor original do débito (antes do acúmulo de juros) e procure o credor para negociar um acordo ou até mesmo analisar a possibilidade de um empréstimo pessoal, que tem juros menores do que os do cartão de crédito, por exemplo.

Planejamento

Sabendo o valor total da dívida, seus rendimentos e qual delas é a mais urgente, chegou a hora de planejar. Faça isso em um caderno, agenda, planilha no computador ou mesmo algum aplicativo no celular. Defina um limite de gastos mensais e quanto do seu orçamento será destinado para o pagamento das dívidas. Chegou à conclusão de que vai precisar de um empréstimo pessoal? Quanto dinheiro vai precisar? Qual banco ou financeira oferece as melhores condições? Quanto conseguirá pagar mensalmente? O planejamento é fundamental para superar as dívidas e evitá-las no futuro.

Corte de gastos

Muitas vezes os pequenos gastos que passam despercebidos podem ser os causadores de rombos no orçamento. Corte todos os gastos desnecessários do seu orçamento, repense o almoço e comece a levar marmita, por exemplo, no final do mês esse dinheiro pode fazer uma grande diferença. Organize-se para gastar apenas com o extremamente indispensável e busque formas de renda extra que possam ajudar a reorganizar as finanças.

Objetivo

Ter uma meta ajuda a manter o foco e a incorporar o controle financeiro na rotina. Por isso, busque definir objetivos de curto, médio e longo prazo. Eles vão fazer com que você não desvie do caminho para manter suas finanças organizadas e ajudar a consumir de maneira mais consciente.