Como fazer uma viagem barata para Itália

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Planeje sua viagem para Itália com antecedência
  2. Hospedagem da Itália
  3. Beba vinho na Itália!
  4. Turismo na Itália

A Itália pode ser um dos destinos mais caros da Europa se você não se programar e nem estiver disposto a abrir mão do conforto. A hospedagem e a alimentação normalmente são os itens mais pesados da viagem. Mas não é por isso que você vai descartar da sua rota um dos países mais lindos do mundo e berço da civilização romana, certo? Confira algumas dicas para não se assustar tanto na hora de olhar para a fatura final.

Planeje sua viagem para Itália com antecedência

A primeira providência é tentar reservar o hotel ou albergue assim que possível. As melhores ofertas terminam rápido, especialmente nos meses do verão europeu, como julho e agosto. Na baixa temporada, essa disputa é menos acirrada, embora não seja recomendável demorar muito para resolver essa questão.

Hospedagem da Itália

Se você está acostumado a se hospedar em hostels pela Europa, é possível que se decepcione bastante com a qualidade dos albergues italianos. Apesar disso, eles podem sair bem mais em conta se comparados aos hotéis. Contudo, não desconsidere a possibilidade de hostels com quartos e banheiros compartilhados para deixar o seu orçamento mais leve.

Outra vantagem dos albergues é que você pode preparar a sua própria comida, o que vai fazer muita diferença no final das contas. Reserve alguns dias para comer bem em algum restaurante mais modesto, como a cartilha italiana sempre recomenda. Mas não abuse. Fazer comida em casa sai muito mais barato e você pode economizar para conhecer mais cidades.

Beba vinho na Itália!

Outra dica, especialmente se você não vai viajar nos meses mais quentes, é trocar a cerveja pelo vinho. Uma taça ou garrafa pode sair tão mais barato que é capaz de você se tornar um especialista em vinhos italianos ao voltar para o Brasil.

Turismo na Itália

Na Itália, há excelentes passeios gratuitos ou baratos entre aqueles mais procurados pelos turistas. No Vaticano, a Basílica de São Pedro sai de graça. Já a Capela Sistina, no Museu do Vaticano, pode ter custo. Em Roma, o Panteão é aberto ao público, mas o Coliseu é pago, apesar de barato. Em Florença, a Galeria dos Ofícios e a Galeria da Academia são bem acessíveis também. Valem cada centavo e minuto do seu roteiro.

Em toda a Itália, as igrejas são lugares que merecem visitação. Algumas pedem doação, outras cobram pequenas quantias pela entrada. Não deixe de conhecer a Basílica de Santa Maria della Salute, em Veneza, e a Basílica da Santa Cruz, em Florença.

Aliás, se Veneza estiver no seu roteiro, é bom economizar mesmo em todas as cidades anteriores. Tudo por lá é mais caro, desde a hospedagem e a alimentação até o tradicional passeio de gôndolas.

A boa notícia para os turistas que não querem gastar muito é que viajar pelas estradas italianas custa pouco. O combustível e os pedágios são bem acessíveis, mas o que vale realmente a pena é a rede de ônibus MebaBus. Eles atuam em toda a Europa, sendo 13 cidades italianas. O preço pode ser 1 e 10 euros entre uma cidade e outra. Aproveite!