Dicas infalíveis para viajar gastando pouco

Por Redação IQ 360

viajar-pagando-pouco-barato

Abrindo o Instagram ou o Facebook, constantemente somos inundados de fotos de viagens incríveis. É muito provável que, sentado na mesa do trabalho, você fique triste e acabe pensando “Ah, queria tanto viajar… Mas quem vai pagar as contas? ”. Nós do IQ te respondemos: você consegue sim continuar pagando suas contas e ainda viajar para diversos destinos gastando muito pouco!
Se você está com o orçamento apertado e quer muito dar aquela escapada da sua cidade, não se preocupe.  É possível unir o útil ao agradável viajando com pouco dinheiro no bolso, basta ler as dicas que a gente preparou para você neste texto.

Viaje barato começando pelo transporte

Se você for fazer uma viagem de curta distância, vale a pena procurar se não compensa trocar a passagem de avião por uma de ônibus, porque o trajeto rodoviário costuma ser uma opção mais barata. Além disso, você também pode pesquisar se não há caronas disponíveis para o local que está indo: o aplicativo Bla Bla Car te mostra quais são as caronas mais próximas de você por um preço muito em conta.
Caso você busque uma viagem nas nuvens, o primeiro passo para comprar uma passagem de avião é checar se você não possui milhas aéreas disponíveis pelo seu cartão de crédito – elas podem tanto garantir um desconto na passagem como fazer com que o ticket aéreo saia na faixa. Para procurar as passagens mais baratas no mercado para o seu trajeto, você pode usar comparadores online de passagens como o Skyscanner, Kayak e Google Flights que te mostram os melhores voos.
Além de ativar alertas de preços baixos por e-mail nestes sites, outra prática que pode deixar sua passagem aérea mais barata é comprar o ticket com uma certa antecedência. Agentes de viagens não recomendam comprar a passagem muito antes, como por exemplo 8 meses antes da partida, nem poucos dias antes de o avião decolar. Uma boa prática é planejar comprar sua passagem com até 60 dias de antecedência da data de partida.
Quanto ao transporte durante o período da sua viagem, tente esquecer os taxis ou Uber – transporte de carro acaba encarecendo a viagem e pode restringir o seu conhecimento da cidade que você está visitando. Andando a pé pela cidade, você acaba descobrindo o destino de maneira nova, queima as calorias das guloseimas que comprou e, o melhor de tudo, não gasta nada.
Em cidades grandes, você também pode aproveitar o transporte público para longas distâncias, como trens, ônibus e metrôs. Vale a pena checar se a cidade que você está viajando tem um cartão de transporte público para viajantes: eles costumam ter um preço fixo que permite viagens ilimitadas em determinado período de tempo. Além disso, aplicativos como Moovit e Google Maps serão seus grandes aliados na viagem, porque eles indicam o trajeto mais rápido para o local que você deseja ir tanto com o transporte público, quanto a pé.

Economize na Hospedagem

Hoje em dia você consegue encontrar diversas opções de hospedagem para substituir os hotéis tradicionais que costumam ter um preço mais salgado. Veja a seguir alguns jeitos de se hospedar no seu destino sem pagar muito:
Couchsurfing: por incrível que pareça, através da plataforma Couchsurfing você consegue se hospedar na casa de alguém de graça, basta combinar com os hosts, as pessoas que acolhem os viajantes e abrem suas casas. Pelo fato dos hosts serem moradores locais, eles costumam conhecer bastante do destino, podendo dar diversas dicas para você! O Couchsurfing é seguro porque é baseado em referências: cada host e viajante recebe notas após a viagem, fazendo com que você consiga ver a reputação daquele host antes de combinar uma estadia.
Airbnb: a proposta do Airbnb é oferecer aluguel de casas e apartamentos para turistas. Os preços costumam ser mais baratos que os de hotéis e a acomodação costuma vir equipada de cozinha e lavanderia. Assim, você também pode economizar na alimentação comprando ingredientes nos supermercados e cozinhando na sua hospedagem!
Hostels ou Albergues: essas opções funcionam como uma pousada informal, porque os preços são mais baratos que uma hospedagem convencional e os quartos e banheiros costumam ser compartilhados com outros hóspedes.  Hostels e albergues são uma boa pedida para pessoas que querem conhecer outros viajantes e compartilhar diferentes culturas.

Comer pagando pouco

Se comida é uma das sete maravilhas do mundo para você, pode parecer muito difícil não gastar muita grana neste quesito durante sua viagem. Mas você pode se alimentar muito bem e ainda conhecer a cultura gastronômica do lugar que você está visitando sem desembolsar rios de dinheiro.
A primeira dica que damos é se planejar antes de sair de casa: prepare pequenos lanches para comer durante o dia, assim você não precisa gastar com comidas no centro da cidade, que costumam ser muito caras. Uma dica que mochileiros costumam dar é fazer esta pausa do lanche admirando a paisagem do seu destino – seja em frente a um museu ou à beira da praia. Caso você esteja em um Airbnb, compensa bastante comprar ingredientes em um supermercado local e preparar refeições na própria cozinha, como comentamos anteriormente.
Mas você deve estar pensando: e como vou conhecer a cultura gastronômica preparando minha própria comida? O que sugerimos é separar uma ou duas “refeições especiais” durante a sua viagem para conhecer restaurantes locais e os melhores pratos que eles oferecem no destino.
Se você quiser conhecer snacks locais da região que está visitando, tente encontrar vendinhas baratas na cidade, assim como deve ser possível achar em sua cidade natal. Tudo é questão de pesquisar: evite lugares no centro da cidade e busque indicações de moradores locais para achar o melhor quitute pelo preço mais baixo.

Por último, mas não menos importante: lazer e turismo

Esta parte da viagem muda bastante conforme o destino que você escolheu. Se você optou por um trajeto focado em aventuras ao ar livre, será bem mais fácil de economizar, porque você pode optar por trilhas, caminhadas e escaladas sozinho ou com guias locais que não costumam cobrar caro pelo serviço. Vale a pena também checar se outros viajantes que estejam no local topam fazer o passeio com o guia junto com você, assim o profissional cobra menos por pessoa.
Mas você também consegue economizar em grandes cidades. Se você adora visitar museus e atrações turísticas, pode parecer que boa parte do seu orçamento de viagem será desembolsado com isso, mas, se você planejar bem seus dias, é possível fazer até visitas gratuitas. Muitos museus oferecem entradas gratuitas em determinado dia de semana – geralmente de segunda a sexta. Para conseguir checar muitas obras de arte na faixa, antes de viajar procure nos sites dos museus que você quer visitar se eles participam dessa iniciativa.
Se você não conseguir encaixar os dias de entrada gratuita no seu plano de viagem, confira se é possível comprar ingressos com desconto com antecedência no site da atração turística ou em portais como Peixe Urbano, que oferecem promoções com entradas mais baratas. Além disso, você sempre pode aproveitar os espaços públicos da cidade que você está visitando, explorando o que há de melhor nos parques públicos, praças e monumentos.