Cetip, a entidade que calcula o CDI

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. O que é a Cetip?
  2. Porque a Cetip é importante
  3. Certificações
  4. Como simular os valores do CDI
IQ investimentos

Introdução

O mercado financeiro vai muito além das Bolsas e sistemas de Homebroker com os quais o investidor médio está acostumado. Em sua estrutura e processo, dezenas de entidades operam para criar segurança, autenticar transações, avaliar e analisar títulos, papéis e opções e transformar o “jogo” dos ativos mobiliários em dinheiro propriamente dito (e vice-versa).

A Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos, ou simplesmente Cetip, é um desses importantes atores de mercado. Ao contrário do que muitos pensam, não se trata de órgão público administrativo – mas então, o que é afinal?

O que é a Cetip?

A Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos é uma empresa de capital aberto que compreende uma plataforma informatizada para registro e negociação no mercado chamado “de balcão”. A Cetip fornece mecanismos de autorregulamentação e opera segundo conformidades impostas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelo Banco Central do Brasil.

A grosso modo, é uma espécie de câmara online de registro, depósito, negociação, transação e liquidação de títulos e valores mobiliários de toda espécie. Operações são verificadas e fiscalizadas para avaliar se cumprem regras e normas de mercado.

Para quem opera como investidor, entretanto, o nome Cetip é famoso em qualquer segmento – isso porque a Cetip, por sua atuação e características, é a entidade que responde pela emissão e cálculo da chamada Taxa de DI, ou CDI.

Porque a Cetip é importante

Para compreender a importância da Cetip, é preciso antes saber o que é o chamado “mercado de balcão”.

Esse tipo de mercado inclui todo tipo de distribuição e operações de compra e venda de títulos que sejam realizadas fora do ambiente da Bolsa de Valores. Transações que são negociadas diretamente entre partes ou apenas com o intermédio de entidades financeiras, mas sem contar com os mecanismos da Bolsa.

A importância da Cetip é exatamente a de atuar como organizador desse mercado “ex-Bolsa”, oferecendo um ambiente de registro que proporcione segurança e compliance para empresas que negociem títulos no mercado de balcão. Esses papéis incluem todo tipo de ativo mobiliário, entre eles:

  • CDBs
  • RDBs
  • Letras hipotecárias
  • Letras de câmbio
  • Debêntures
  • Dis
  • Swaps diversos

A Cetip aparece como responsável pela custódia escritural de todos esses ativos e contratos, registrando as operações ocorridas no mercado de balcão e processando a liquidação financeira advinda deles. A plataforma eletrônica proporciona, além de compliance e credibilidade, maior facilidade para quem oferta ou adquire títulos desse modo.

Mas essa entidade não possui apenas um papel junto a investidores e intermediários do mercado de balcão. A Cetip responde igualmente pela custódia e liquidação de títulos estaduais e municipais com emissão posterior ao ano de 1992, alguns títulos de dívidas ligadas ao Tesouro Nacional e também créditos securitizados da União. Sua responsabilidade ainda inclui o papel de custodiante de dívidas agrícolas, títulos da dívida agrária e certificados financeiros do Tesouro Nacional.

A Cetip oferece o chamado mercado de balcão organizado – o que na prática constitui um mercado de “semi-Bolsa”. Assim como o mercado organizado em Bolsa, o mercado de balcão organizado segue premissas mínimas:

  • Existência de sistema ou ambiente para o registro de operações realizadas previamente
  • Regras adotadas em seus ambientes ou sistemas de negociação para a formação de preços, conforme descrito nos arts. 65 e 73, no caso de Bolsa, e arts. 95 e 96, no caso de balcão organizado
  • Possibilidade de atuação direta no mercado, sem a intervenção de intermediário
  • Possibilidade de diferimento da divulgação de informações sobre as operações realizadas
  • Volume operado em seus ambientes e sistemas
  • Público investidor visado pelo mercado

Então por que negociar em “balcão” e não em Bolsa? A verdade é que as Bolsas exigem contratos em volumes maiores, com níveis de padronização imensa e alta liquidez, e não necessariamente empresas emissoras podem ou desejam cumprir com tais requisitos. Além disso, determinadas operações possuem um horizonte de tempo limitado, o que não costuma a ocorrer em Bolsa. Nesses casos, pode-se negociar os títulos apenas recorrendo a intermediários financeiros ou utilizando câmaras como a Cetip – sendo essa segunda opção mais segura e certamente de maior conformidade com regulações do sistema financeiro nacional.

Certificações

A Cetip atualmente oferece uma certificação chamada Cetip | Certifica. Esse certificado comprova o registro na Cetip de aplicações de determinado cliente, por meio de seu CPF ou CNPJ, em investimentos custodiados pela própria Cetip.

Bancos, corretoras, distribuidoras e outras instituições financeiras solicitam adesão ao Cetip | Certifica com o objetivo de registrar, obrigatoriamente, investimentos na Cetip. Isto ocorre mesmo que, para alguns ativos, o registro não seja legalmente obrigatório.

As instituições financeiras precisam credenciar-se junto à Cetip para estender o benefício da certificação para seus clientes. Há uma série de requisitos e obrigatoriedades para que um banco ou corretora possa ostentar o credenciamento à certificação.

Essas instituições precisam concordar com uma série de exigências da Cetip em um termo de adesão, mas de forma geral, sob a óptica de seus clientes, a adesão implica no encaminhamento dos clientes para o portal da Cetip no que tange ao acompanhamento de suas posições. Cada um  deles recebe instruções de acesso e login e a instituição financeira passa a ser responsável pelo lançamento das informações nesse sistemas, sofrendo penalidades e sanções no caso de erros e incorreções.

A partir disso, uma corretora ou instituição pode usar o selo do Cetip | Certificada na qualidade de credenciada.

Como simular os valores do CDI

A Cetip é uma entidade complexa e com atuação primordial no mercado financeiro e, principalmente, em contratos off-exchange.

Entretanto, mesmo para aqueles que apenas buscam a entidade em razão de sua Taxa de DI, é possível acompanhar não apenas séries históricas da taxa no site, mas também realizar simulações.

A calculadora DI funciona de maneira simples: basta entrar com as datas inicial e final da aplicação em renda fixa, o percentual e o valor da aplicação, clicando no botão “Calcular”. A Cetip ainda oferece um aplicativo para dispositivos móveis que oferece as mesmas funcionalidades e permite acompanhar a Taxa de DI – o Applica Cetip.