Como é feito o dinheiro?

Por Redação IQ 360

como-e-feito-o-dinheiro

A impressão do dinheiro tal como conhecemos hoje começou há muitos séculos. Em 1694 no Rio de Janeiro foi fundada a Casa da Moeda, lugar onde essa produção ocorre até hoje e também onde estão armazenados documentos oficiais do governo federal. Mas você sabe quais são os processos até que cada nota chegue às suas mãos?

Papel do Banco Central

O Banco Central é o responsável por administrar esse processo. É ele que vai determinar a quantidade de dinheiro que precisa ser produzida e entrará em circulação, levando em conta as notas que já estão circulando, as riquezas do Brasil, a inflação e outros índices que medem o comportamento das finanças do país.

Marca d’água

Para começar a fabricar as notas de dinheiro, a Casa da Moeda utiliza um papel específico, especialmente para evitar falsificações. Todas as notas produzidas levam uma marca d’água pela qual é possível identificar se é um dinheiro verdadeiro ou não. É por isso que em muitos estabelecimentos os funcionários dos caixas verificam as notas de maior valor contra a luz, para identificar a marca e checar se o dinheiro não é falso.

Fabricação

Em média, a Casa da Moeda leva até nove dias para produzir uma nota nova. Isso porque o processo passa por várias fases entre a produção e a impressão. Na primeira impressora, o papel será marcado com os números, as imagens e as cores características e designadas para cada uma das notas. Ou seja, essa é a primeira camada de tinta que o papel dinheiro recebe e esse resultado não é perceptível sem um instrumento adequado.
Somente nas etapas seguintes é que o dinheiro ganhará de fato uma cara mais próxima do resultado final. Depois da segunda impressão, as notas ficam guardadas por até dois dias, tempo necessário para fixar a tinta e as imagens inseridas. Por último, são colocados os elementos de relevo, que vão dar ainda mais autenticidade ao dinheiro. A última impressão é quando são fixados os números propriamente ditos.

Duração das notas

Segundo a Casa da Moeda, uma nota em bom estado de conservação pode durar até dez anos. Notas que estão em estado mais precário podem ser substituídas em bancos, mas não podem estar muito deterioradas ou com claros sinais de tentativas de restauração, como adesivos ou fitas isolantes. Algumas notas rasgadas também ficam impedidas de serem trocadas. Portanto, se você tem notas já muito puídas, o melhor a fazer é levá-las ao banco assim que possível, antes que se deteriorem ainda mais.