Passo a passo de como minerar Monero

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Introdução ao Monero
  2. Passo a passo de como minerar Monero

Para muitos, uma nova forma de ocupação tornou-se o principal negócio: minerar criptomoedas, entre elas o Monero. Entretanto, para a maioria das pessoas o conceito ainda parece um tanto misterioso. O fato é que, antes de tudo, a palavra “mineração” é apenas uma tradução do “mining” em inglês – que faz bem mais sentido no idioma original.

Antes de entender mais sobre a mineração de Monero, é preciso dar uma recapitulada no próprio conceito por detrás dessa moeda virtual e tantas outras no mercado.

Introdução ao Monero

O Monero é uma moeda. Entretanto, ao contrário do real, do dólar ou do euro, trata-se de uma moeda virtual. Em outras palavras, seu valor e correspondência somente existem digitalmente. É impossível “imprimir” Moneros ou recebê-los de forma física.

De um ponto de vista prático, basta imaginar os Monero de forma semelhante a milhagens de um programa de fidelidade. Esses pontos existem dentro de um sistema e são associados ao seu perfil e login, porém não é possível usá-los fisicamente falando.

Menos conhecida que o Bitcoin, o Monero foi criado em 2014 e opera nos mercados de criptomoedas com o código XMR. Não- rastreável, o Monero é tido por muitos como uma moeda virtual com privacidade ainda maior que a do primo famoso, o Bitcoin.

O Monero pode ainda ser utilizado como um primeiro passo para iniciantes em mineração de criptomoedas – sua abertura maior e ausência de qualquer rastreamento torna a moeda ótima para testes e avaliações, de equipamentos e processos de mineração.

Passo a passo de como minerar Monero

Para entrar no mercado de mineração de moedas virtuais (porque não apenas o Monero, mas outras criptomoedas são geradas desse modo), é preciso cumprir alguns passos essenciais.

  1. Antes de mais nada, é preciso adquirir cartões para inserção em computadores e hardware específico. Ao contrário de moedas como os Bitcoin, contudo, o Monero pode ainda ser minerado a partir de CPUs comuns. Embora o processo seja extremamente lento, em tese é possível minerar Monero a partir de qualquer máquina, até mesmo laptops ou mesmo celulares. Esse fator torna a mineração do Monero um passo inicial interessante para aqueles que desejam entrar no mercado de mineração de criptomoedas. Contudo, o fato de poder ser minerado em qualquer lugar torna a moeda mais suscetível a aplicativos maliciosos e mesmo ataques.
  2. Depois, é preciso abrir uma carteira virtual de Moneros. Quando minerados, esses Bitcoin precisam ser armazenados em uma carteira digital e criptografados para proteger os valores.
  3. Quanto mais protegidas essas carteiras, melhor. O minerador precisa usar não um, mas vários sistemas de autenticação e defesa para suas carteiras.
  4. Associe-se, se necessário, a desenvolvedores ou pessoas que já efetuaram a mineração de criptomoedas com sucesso. Há grupos específicos para mineração colaborativa em comunidades de programadores e desenvolvedores.
  5. Baixe um ou mais programas de mineração, geralmente gratuitos e de código aberto, como o Cgminer ou o EasyMiner.
  6. Instale e configure o programa e inicie a mineração, aprendendo a avaliar ritmo, resultados e desempenho. Lembre-se de que o computador, em todas as suas atividades restantes, ficará mais lento pela capacidade de processamento usada na mineração.
  7. Controle a temperatura e o gasto de energia. A temperatura alta dos processadores, saturados pela grande atividade da mineração, podem reduzir a vida útil dos computadores. Como são máquinas caras, o prejuízo é imenso. O mesmo ocorre com a energia, que gasta ainda mais rapidamente com o sobreaquecimento.
  8. Verifique a rentabilidade. É preciso auferir lucros, mas descontando todos os custos de montagem e manutenção dos aparelhos, gastos com energia e refrigeração, eventuais gastos com assistência técnica ou serviços auxiliares.