Como Consultar o Informe de Rendimentos no Banco do Brasil

Por Redação IQ 360

É possível e até recomendável consultar o informe de rendimentos de suas aplicações antes de começar a fazer a declaração do Imposto de Renda. Embora muitos bancos ainda o enviem por correio, todos eles já permitem aos correntistas consultar esses formulários online.

Porém, cada banco possui seu próprio sistema e particularidades. As maneiras de acessar podem ser diferentes, assim como alguns detalhes do informe de rendimentos.

Como consultar os informes no Banco do Brasil?

O Banco do Brasil é um banco de gestão estatal, responsável por muitos empréstimos, linhas de financiamento e também pela gestão das folhas de pagamento de muitos governos e órgãos públicos. Também é um banco muito utilizado por correntistas de outros bancos, como opção para empréstimos e crédito a melhores taxas de juros. Isso faz com que muita gente tenha de lidar com os informes do Banco do Brasil na hora de preencher a declaração do imposto de renda.

Para encontrar o informe, basta acessar o home banking e buscar na caixa de pesquisa pelo item “Informe Imposto de Renda – Rendimentos”. Uma vez que a seção é acessada, é preciso entrar com o ano-base do informe, nesse caso 2017.

Para os rendimentos de ações ou mesmo de fundos de investimento imobiliário, os FIIs, é preciso procurar por outro item na caixa de buscas. Os dois informes poderão ser encontrados dentro do mesmo tópico – “Conta-corrente – Informe Imposto de Renda – Rendimentos de Ações”.

Uma vez que a tela é acessada, é preciso selecionar cada um dos ativos para que os dados do informe sejam exibidos. A dica aqui é baixar ou imprimir todas as informações sobre cada ação ou fundo de uma só vez, para não correr o risco de pular alguma das aplicações.

Organização

Antes mesmo de consultar os informes disponíveis, é bom fazer uma relação de todas as aplicações, investimentos e serviços financeiros que precisam ser declarados, para que não se deixe nenhum item escapar.

E, no caso de contas e aplicações em mais de um banco, é preciso realizar o procedimento novamente, para cada novo banco em que o contribuinte possua contas ou investimentos em seu nome ou em conjunto com outras pessoas.