Como Consultar o Informe de Rendimentos na Caixa

Por Redação IQ 360

É possível e até recomendável consultar o informe de rendimentos de suas aplicações antes de começar a fazer a declaração do IRPF. Embora muitos bancos ainda o enviem por correio, todos eles já permitem aos correntistas consultar esses formulários online.

Cada banco, porém, possui seu próprio sistema e particularidades. As maneiras de acessar podem ser diferentes, assim como alguns detalhes do informe de rendimentos.

Como consultar os informes na Caixa Econômica Federal?

Muitas pessoas reclamam da dificuldade com serviços da Caixa. Embora o sistema do banco estatal funcione, ele tende a concentrar muitas informações de maneira confusa. A Caixa, além de um banco como os demais, concentra uma série de funções e gestão de ativos governamentais, pagamento de benefícios do INSS, financiamentos e créditos de programas governamentais e outros. É comum haver dificuldade em localizar documentos e formulários nas aplicações da Caixa na internet, portanto é bom redobrar a atenção.

Na tela inicial do home banking, é preciso clicar primeiro no ícone de “Minha Conta”. Um menu com dezenas de opções aparecerá – a opção a selecionar é a “Informe de Rendimentos”. Uma tela em branco aparece na sequência e o usuário tem de clicar em “Continuar”.

O informe para utilização na atual declaração aparecerá na tela. Entretanto, se o usuário precisa dos informes de rendimento de anos anteriores ou não encontrou alguma informação sobre outras aplicações que possui no banco, o caminho mais fácil é, na verdade, comparecer numa agência ou entrar em contato com o gerente de conta.

A Caixa não possui um sistema de home banking muito amigável e algumas informações podem até estar ali, mas o usuário não consegue encontrá-las nem mesmo percorrendo várias telas de busca.

Organização

Antes mesmo de consultar os informes disponíveis, é bom fazer uma relação de todas as aplicações, investimentos e serviços financeiros que precisam ser declarados, para que não se deixe nenhum item escapar.

E, no caso de contas e aplicações em mais de um banco, é preciso realizar o procedimento novamente, para cada novo banco em que o contribuinte possua contas ou investimentos em seu nome ou em conjunto com outras pessoas.