Como Consultar o Informe de Rendimentos no Santander

Índice de Conteúdomenu

  1. Informes no Santander
  2. Organização
IQ investimentos

Introdução

É possível e até recomendável consultar o informe de rendimentos de suas aplicações antes de começar a fazer a declaração do IRPF. Embora muitos bancos ainda o enviem por correio, todos eles já permitem aos correntistas consultar esses formulários online.

Cada banco, porém, possui seu próprio sistema e particularidades. As maneiras de acessar podem ser diferentes, assim como alguns detalhes do informe de rendimentos.

Informes no Santander

O Santander, como outros bancos, disponibiliza com facilidade o informe de rendimentos em seu home banking. Ao contrário de outras entidades, o Santander fornece um documento único para que o correntista encontre os dados a colocar em sua declaração. Embora isso facilite em alguns aspectos, pode dificultar a vida de quem possui muitas aplicações e um portfólio variado de investimentos no banco.

 

Para encontrar o informe, é preciso acessar a conta corrente e clicar na opção de “Declaração de Imposto de Renda 2018”, local onde o contribuinte irá achar o informe de rendimentos financeiros.

 

O Santander fornece um relatório completo, ao invés de vários relatórios em separado. Além das aplicações costumeiras, o banco separa em seu relatório as informações de rendimentos tributáveis, rendimentos isentos, como a poupança, por exemplo, e rendimentos sujeitos a tributação exclusiva.

 

No mesmo informe, o correntista encontrará também os saldos em conta corrente e em previdência privada VGBL, que precisam ser lançados no IR.

 

Aplicações financeiras do Santander também contam com informes, mas é preciso buscar os dados de cada uma das aplicações. Em caso de dúvidas, é melhor consultar o gerente de conta – alguns relatórios e informações não são tão fáceis de encontrar usando apenas o home banking.

Organização

Antes mesmo de consultar os informes disponíveis, é bom fazer uma relação de todas as aplicações, investimentos e serviços financeiros que precisam ser declarados, para que não se deixe nenhum item escapar.

E, no caso de contas e aplicações em mais de um banco, é preciso realizar o procedimento novamente, para cada novo banco em que o contribuinte possua contas ou investimentos em seu nome ou em conjunto com outras pessoas.