4 melhores investimentos para fazer ainda em 2018

Por Redação IQ 360

CDI Hoje

Rentabilidade

6.39%

Índice de Conteúdomenu

  1. Investimentos com a taxa Selic baixa
  2. Debêntures
  3. Fundos Imobiliários
  4. Ações
  5. Renda Fixa com vencimento maior

Quer saber quais são as melhores aplicações ou investimentos que você ainda vai fazer em 2018? O youtuber Gustavo Lobo te mostra quais investimentos fazer com a taxa Selic em 6,5%.

Investimentos com a taxa Selic baixa

Atualmente, a taxa Selic está em queda: 6,5%. A expectativa é que essa taxa se mantenha nesse valor, o que reduzirá bastante a rentabilidade da renda fixa. Tesouro Selic, CDB que paga um percentual do CDI, LCA e LCI são pós-fixados e, com a queda da taxa Selic, tendem a remunerar menos. Afinal, quando a taxa cai, a remuneração dos produtos cai junto.

Quando falamos de investimentos a longo prazo, como os pré-fixados e IPCA+, o cenário não fica diferente. Como é um momento em que a taxa Selic não vai continuar a cair, esses dois produtos sofrem porque não têm mais nenhum ganho guardado.

Se o Banco Central subir a taxa de juros, esses papéis vão sofrer, já que são papéis longos. A partir do momento que taxa subir, o investidor terá perda de ganho financeiro, o que irá incomodar. Essa não é, portanto, a melhor posição para manter em 2018. A alta do dólar, por exemplo, pressiona as taxas inflacionárias, o que pode fazer com que o Banco Central reaja subindo a taxa Selic ou não a abaixando mais. Se existe a possibilidade de alta da taxa Selic, por que irá segurar papéis que perdem dinheiro ou que vão te entregar resultados ruins?

Por tanto, o investidor que investe apenas em Renda Fixa começa a sentir dificuldade de remunerar melhor o seu capital.

A solução é começar a correr riscos. Ou seja, colocar produtos no seu patrimônio de investimento que tenham fatores de risco. Por isso, listamos 4 investimentos que você pode ter na sua carteira para aumentar seu rendimento em 2018:

Debêntures

As Debêntures são títulos de dívidas de companhias abertas e não têm garantia do Fundo Garantidor de Crédito. Nas Debênture geralmente a taxa que você vai receber quando comparada a Renda Fixa, ou seja, a Selic, tende a ser maior.

Só tome um cuidado: muitas empresas estão oferecendo taxas muito mais elevadas do que a média do mercado. Essas empresas, geralmente, estão com uma estrutura financeira ruim, por isso estão precisando de dinheiro. Com isso, você eleva consideravelmente o seu risco.

Portanto, se você está pensando em colocar alguma Debênture na sua carteira, analise antes a empresa. Olhe de quem é essa Debênture, bem como sua liquidez, caso você precise desse dinheiro antes do vencimento. Também é interessante ver se há perda caso queira transformar a Debênture em dinheiro antes do vencimento.

Fundos Imobiliários

Nos Fundos Imobiliários, há maior risco do que nas Debêntures, já que os FIs já se tratam de Renda Variável. Você compra a cota de FIs na Bolsa de Valores, e essa cota pode sofrer variação de acordo com a oferta e a demanda, bem como com o risco do mercado em geral.

Contudo, a parte positiva é que você receberá dividendos, isentos do Imposto de Renda. Os dividendos são os aluguéis pagos aos Fundos e repassados aos cotistas. Geralmente, essas taxas estão acima da taxa Selic, ou até da média que os produtos de Renda Fixa pagam, mas com um risco um pouco maior.

Ações

O mercado acionário, ou seja, de Ações, traz mais risco do que o mercado de Fundos Imobiliários e mais ainda do que o mercado de Debêntures.

No mercado de Ações, a sua possibilidade de ganho aumente bastante: você pode focar em ações que têm pagamento de dividendos maiores, como 7% ao ano. Esse valor, com a taxa Selic em baixa, chega a ser maior do que o CDB que pague 100% do CDI ou do que o próprio Tesouro Selic, ainda mais com a isenção do Imposto de Renda. Com isso, você ainda tem a chance de valorização no preço da ação, o que fatalmente valorizaria o seu patrimônio.

Renda Fixa com vencimento maior

Para aumentar a rentabilidade do seu dinheiro, não necessariamente você precisa investir somente em Ações. Existem outras opções no mercado dentro de vários produtos oferecidos, cada um com um risco diferente.

Você pode alongar o vencimento dos seus produtos de Renda Fixa, sem corres os riscos das Ações, FIs e Debêntures: é possível comprar produtos de Renda Fixa com carência de 3 anos. Com isso, a rentabilidade desses produtos será percentualmente maior, como 120% do CDI.

Porém, você abre mão da liquidez. Ou seja, se você precisar do dinheiro antes, dificilmente terá liquidez suficiente para transformar esse produto em dinheiro. Em outras palavras: você terá que deixar seu dinheiro rendendo até o vencimento do investimento. Exemplos são: CDBs com carência de 3 anos, LCIs e LCAs (que estão isentas de IR). Geralmente 95% desses produtos trazem uma boa rentabilidade. Com isso, você melhora um pouco a sua rentabilidade.

Guia de Renda Fixa

Debêntures, CDBs, Tesouro Direto, CRI, CRA e muito mais. Entenda tudo sobre Renda Fixa!