O que é inflação e quais os principais índices utilizados?

Por Redação IQ 360

o-que-e-inflacao-principais-indices

Inflação é o processo de alta generalizada de preços em uma determinada economia. Também podemos dizer que a inflação é a perda de poder de compra de uma determinada moeda durante um determinado tempo.
É importante diferenciar a inflação de um aumento de preços localizado. Por exemplo, uma situação de escassez de tomates pode aumentar o preço do tomate em 100%, mas isso não significa que a inflação está neste patamar. Quando falamos em inflação, estamos observando um aumento geral da média de preços. Por isso o tomate pode aumentar 100% e a inflação ficar em apenas 4%: como ela é uma média, também entram na conta produtos que caíram de preço, permaneceram estáveis ou aumentaram.
Medir a inflação é relevante porque ela é um sintoma de vários fenômenos econômicos. Por exemplo, se o país aumentar o seu consumo em ritmo mais rápido que a capacidade de produzir e oferecer produtos e serviços, a inflação tende a subir. Por outro lado, em uma recessão pode haver deflação, ou seja, inflação negativa ou queda generalizada de preços. Uma inflação muito alta também pode ser sinal de que o governo está gastando mais do que deveria e está “imprimindo dinheiro” para sustentar seus gastos.
Evidentemente, nenhum instituto consegue medir os preços de todos os produtos em todos os lugares ao mesmo tempo. Por isso, a inflação é calculada a partir do monitoramento de um conjunto de produtos que se considera serem os mais representativos na economia. Também por isso temos índices diferentes de inflação, que podem apresentar resultados diferentes. Para a análise econômica, mais do que a inflação é importante considerar a tendência e os fenômenos que impactam em cada índice.
No Brasil os principais indicadores de inflação são:

  • IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo): medido pelo IBGE, calcula a variação de preços dos produtos consumidos por famílias de renda entre 1 e 40 salários mínimos, nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Vitória e Porto Alegre, Brasília e municípios de Goiânia e Campo Grande. O IBGE também mede o INPC, que abrange famílias de renda baixa, entre 1 e 20 salários mínimos;
  • IGP (índice Geral de Preços): Medido pela Fundação Getúlio Vargas, é o índice de inflação mais antigo do Brasil. Ele é composto por três indicadores medidos separadamente: o IPA, que mede os preços dos produtos no atacado, o IPC, que mede os preços para o consumidor final, e o INCC, que calcula os custos para a construção civil. O IGP aparece em três formatos diferentes, conforme o período do mês em que a pesquisa é realizada:
    • IGP-10: entre os dias 11 do mês e 10 do subsequente
    • IGP-M: entre os dias 21 do mês e 20 do subsequente
    • IGP-DI: entre os dias 1 e 30 do mesmo mês
  • IPC-FIPE: Medido pela FIPE, mede o custo de vida no município de São Paulo
  • ICV (Índice de Custo de Vida): medido pelo Dieese, é utilizado para balizar as negociações de reajustes salariais. Também mede o custo de vida na cidade de São Paulo