O que são processos de Fusões e Aquisições de empresas?

Por Redação IQ 360

“Fusões e Aquisições” é um nome genérico que reúne todas as operações que envolve a junção de duas empresas em uma nova. Este processo pode ser feito de diferentes formas, com diferentes impactos na vida dos acionistas e das organizações.

Quando falamos em uma fusão, normalmente estamos nos referindo a duas empresas que se uniram para formar uma só. É o que aconteceu quando as empresas Sadia e Perdigão se uniram na BRF, ou quando Itaú e Unibanco se juntaram na Itaú Unibanco Holding Financeira. Nestes dois casos, quem era sócio das empresas antecessoras se tornou sócio da empresa nova, em proporções negociadas nos processos de fusão.

Já no caso de uma aquisição, uma empresa adquire a outra, no todo ou em parte. Foi o que aconteceu quando a Heineken comprou a Femsa, dona da cerveja Kaiser. Neste caso, a empresa compradora adquire ações da empresa adquirida.

Há outros processos, contudo, que também fazem parte do universo das “Fusões e Aquisições”:

  • Joint-venture: é quando duas empresas se juntam para criar uma terceira organização independente ou subsidiária, para determinado produto ou mercado. É o caso do acordo entre Boeing e Embraer, que é focado apenas na aviação comercial;
  • Spin off ou cisão: é quando uma operação inteira se separa da empresa e se torna uma outra, independente. Foi o que aconteceu quando o UOL abriu o capital do PagSeguro;
  • Incorporação: é quando uma empresa controlada deixa de existir e sua operação passa a fazer parte da controladora.

Toda operação de fusão e aquisição precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão que busca garantir a livre concorrência entre as empresas no Brasil. Nenhuma fusão ou aquisição pode ter efeito até que o Cade avalie que não há risco de concentração de mercado excessiva.

Impactos para o investidor

Operações de fusão e aquisição impactam no valor das ações das empresas envolvidas. Tudo depende da percepção do mercado sobre as vantagens e desvantagens da operação, mas existem alguns padrões:

  • Se a empresa que adquiriu usou recursos do caixa ou captou empréstimos, o mercado pode interpretar como sinal de que sua alavancagem, ou seja, o endividamento comparado ao fluxo de caixa da empresa tende a aumentar. Isso tende a reduzir o valor das ações;
  • Se a operação envolve troca de ações, o mercado tenderá a comparar o valor da troca em relação ao mercado. Neste caso, se o valor for superior à cotação em bolsa, a tendência é haver uma valorização;
  • Se a empresa adquirida passava por dificuldades financeiras, o anuncio de uma fusão ou aquisição tende a valorizar suas ações porque sinaliza que os fundamentos da empresa vão melhorar;
  • Se vários compradores disputam uma empresa, a tendência é o valor de suas ações subir durante a disputa, porque o mercado entende que aquela empresa tem algo de valor que foi percebido por quem a disputa.

Se a empresa conta com uma cláusula de tag along em seu Acordo de Acionistas, os investidores minoritários terão o direito de vender suas ações ao comprador no mesmo valor oferecido ao acionista controlador. Isto porque, em processos de fusão e aquisição, a ação é negociada a valores superiores aos pagos pelo mercado. No Brasil, o tag along é obrigatório pela Lei das Sociedades Anônimas.

O que são processos de Fusões e Aquisições de empresas?

Operações de fusão e aquisição impactam no valor das ações das empresas envolvidas. Tudo depende da percepção do mercado sobre as vantagens e desvantagens da operação, mas existem alguns padrões:

  • Se a empresa que adquiriu usou recursos do caixa ou captou empréstimos, o mercado pode interpretar como sinal de que sua alavancagem, ou seja, o endividamento comparado ao fluxo de caixa da empresa tende a aumentar. Isso tende a reduzir o valor das ações;
  • Se a operação envolve troca de ações, o mercado tenderá a comparar o valor da troca em relação ao mercado. Neste caso, se o valor for superior à cotação em bolsa, a tendência é haver uma valorização;
  • Se a empresa adquirida passava por dificuldades financeiras, o anuncio de uma fusão ou aquisição tende a valorizar suas ações porque sinaliza que os fundamentos da empresa vão melhorar;
  • Se vários compradores disputam uma empresa, a tendência é o valor de suas ações subir durante a disputa, porque o mercado entende que aquela empresa tem algo de valor que foi percebido por quem a disputa.

Se a empresa conta com uma cláusula de tag along em seu Acordo de Acionistas, os investidores minoritários terão o direito de vender suas ações ao comprador no mesmo valor oferecido ao acionista controlador. Isto porque, em processos de fusão e aquisição, a ação é negociada a valores superiores aos pagos pelo mercado. No Brasil, o tag along é obrigatório pela Lei das Sociedades Anônimas.