4 sinais de que está na hora de vender o seu carro

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Manutenção cara
  2. Desvalorização do carro
  3. Modelo mais novo no mercado
  4. Sem peças de reposição

Vender um carro nem sempre é fácil, seja porque ele está dando muitos problemas, seja porque a oferta está maior do que a procura – especialmente em tempos de crise econômica. Alguns proprietários inclusive têm dificuldades para saber qual é o melhor momento de colocar o veículo à venda. Mas alguns sinais podem ser decisivos para você não adiar mais esse momento e procurar logo alguma revenda ou site especializado. Confira:

Manutenção cara

O primeiro indicativo de que pode ser um bom momento é quando o carro precisa de revisões mais periódicas do que o normal. Se você está visitando o seu mecânico mais do que três ou quatro vezes por ano, é melhor ficar de olho. É bem provável que essa manutenção também já esteja pesando demais no seu bolso. O parâmetro ideal é que esse custo não supere o teto de 10% do valor do veículo. Se isso já está ocorrendo, é melhor trocar de carro o quanto antes.

Desvalorização do carro

Pela tabela FIPE, é possível acompanhar a desvalorização dos veículos desde que eles saem das concessionárias. Via de regra, nos dois primeiros anos, o veículo desvaloriza muito. Mas, nos anos seguintes, esse valor tende a se estabilizar até alcançar 10% do preço inicial. Ou seja, se você comprou um carro zero por R$ 50 mil, após cinco anos, mais ou menos, ele poderá estar custando apenas R$ 5 mil. É por isso também que os especialistas recomendam que você mantenha o mesmo carro na garagem por no máximo cinco anos. Se ele já ultrapassou os 100 mil quilômetros rodados, também é um bom indicativo de que precisa ser trocado. Depois disso, os custos com manutenção e a desvalorização dificilmente vão compensar.

Modelo mais novo no mercado

Outro motivo de desvalorização acentuada e que pode ser decisivo na escolha pela venda do seu carro é quando a montadora lança um modelo mais novo do que o seu. Isso não quer dizer que você precisa trocar de carro todo ano, mas é bom ficar atento às mudanças na tecnologia, no design e nos custos de manutenção que o novo veículo pode estar apresentando. Se for muito superior ao seu, comece a planejar uma troca no médio prazo. Assim você não vai perder tanto dinheiro na revenda.

Sem peças de reposição

Os especialistas sempre indicam que, caso seja necessário fazer a troca de peças em uma revisão completa, o ideal é substituí-las por itens da mesma marca. Isso vai garantir a qualidade do produto e também será atestado em um futuro laudo cautelar na hora da revenda, certificando se há peças originais ou do mesmo fabricante. Por isso, quando você deixar de encontrar peças da mesma marca para vender, esse pode ser um ótimo motivo para trocar o carro assim que possível. Até porque outras marcas podem danificar o maquinário e você acaba gastando ainda mais com manutenções e revisões.