Moro em área de risco e quero seguro: o que a seguradora vai levar em conta na hora de precificar?

Por Redação IQ 360

area-risco-seguro-auto-preco

A contratação de um seguro auto implica diversos fatores que vão refletir no preço. O local da moradia do segurado é um deles e pode ser bastante determinante para estimar os riscos que esse veículo poderá sofrer, como roubos e furtos. Quanto maior a incidência desse tipo de sinistro naquela área, maior poderá ser o valor cobrado pela apólice. No entanto, algumas medidas podem minimizar essa tendência. Confira as dicas dos especialistas:

O que é levado em consideração

Na hora de analisar o perfil do segurado, a empresa fará um longo questionário sobre o cliente e o veículo que ele pretende incluir na apólice, tais como: modelo e ano, histórico de sinistros do motorista, idade e tempo de habilitação, frequência do uso do veículo, membros da família que são habilitados e o local de moradia. Cada um desses itens interfere de uma maneira diferente tanto no que será disponibilizado na cobertura do plano quanto no valor cobrado na franquia.

Residência em área de risco

Nos últimos anos, o número de áreas de risco aumentou muito no Brasil, especialmente em função do crescimento das estatísticas de roubos e furtos de veículos. Em algumas cidades e capitais, até mesmo bairros nobres passaram a ser alvo de muitos assaltos à mão armada, entrando para a lista negra de algumas seguradoras.

Como se proteger e tentar diminuir o valor do seguro

Para quem mora em regiões consideradas como alvo preferencial de bandidos, existem alguns cuidados que podem evitar roubos e furtos. Essas medidas também devem ser informadas à seguradora, com o objetivo de tentar diminuir o valor cobrado nas apólices. Algumas seguradoras levam essas informações em consideração para tentar melhorar o preço do seu seguro.  Veja:

  • A principal atitude a ser tomada é não deixar o seu carro estacionado na rua, nem durante o dia e muito menos à noite. Se não houver garagem na sua casa ou prédio, procure um estacionamento próximo e deixe sempre o veículo parado apenas lá. Se você trabalha em uma área de risco, essa medida é igualmente importante.
  • Se você mora em uma casa e tem um portão automático, informe a seguradora este fato. Este tipo de portão auxilia na segurança da casa e do carro, diminuindo as chances de roubo ou furto, que aumentam nos casos de portões manuais.
  • Instalar um rastreador de veículos no interior do seu carro ajuda a localizá-lo em caso de roubo ou furto, fazendo com que algumas seguradoras diminuam o preço do seguro auto. Entretanto, vale checar com a sua seguradora se ela fecha seguros com rastreadores e, se sim, qual tipo de rastreador pode ser usado. A modalidade de seguro com rastreador pode custar até 50% menos do que um seguro convencional.
  • Se no seu bairro existe o risco de tiroteios, como no Rio de Janeiro, uma medida que ajuda a minimizar o valor do seguro é blindar o seu carro, embora seja uma solução bastante cara e nem sempre compense se compararmos com o valor do seguro sem blindagem. Trata-se, portanto, de uma medida extrema, mas sempre vale a pena fazer uma boa cotação nas empresas do ramo para tentar proteger o seu veículo.
  • O trajeto principal do veículo também afeta no preço da apólice: se o carro é usado para um deslocamento ao trabalho/local de estudo, será buscado o índice de criminalidade e de acidentes de trânsito da região em questão. Caso o local seja considerado como área de risco, uma dica é não utilizar o carro nessa situação, optando por outros meios de transporte.