Quais cidades no mundo têm rodízio de carros?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Rodízio temporário
  2. Rodízio permanente

O rodízio de veículos é uma alternativa que vem ganhando força em todo o mundo desde os anos 1970 e surgiu como uma tentativa de diminuir o número de veículos circulando pelas grandes cidades. Com isso, o objetivo é dar maior fluidez ao tráfego urbano, combater a poluição do ar e deixar as grandes metrópoles mais humanas. Para obrigar os motoristas a cumprir as regras, as autoridades locais passaram a dividir os dias úteis da semana de acordo com as placas dos veículos. Quem desobedece, paga uma multa.

Rodízio temporário

Alguns grandes centros já utilizaram o sistema de rodízio temporário, que é um rodízio de curo período de tempo, como uma semana ou um mês. Um dos motivos que já levou cidades como Roma e Milão, na Itália, a buscarem essa alternativa em 2015 foi a poluição. Quando partículas potencialmente perigosas para a saúde das pessoas tiveram uma concentração excessiva no ar, emergencialmente as metrópoles adotaram o rodízio com objetivo de diminuir os índices de poluição.

Confira as cidades que já implementaram o rodízio permanente de carros:

Rodízio permanente

1979 – Atenas

A Grécia foi o primeiro país a regulamentar o rodízio urbano, aplicando a lei na sua capital, Atenas.  Por lá, os motoristas ficam proibidos de circular das 7h às 20h (segunda a quinta-feira) e das 7h às 15h nas sextas-feiras.

1986 – Santiago do Chile

O Chile foi o primeiro país latino-americano a implementar o rodízio. O motivo foi a redução da poluição, mas nem todos os carros ficam proibidos de circular. Aqueles que têm um catalisador de poluentes ganham o chamado “selo verde” e estão liberados. Os demais ficam dois dias da semana proibidos de circular das 7h30 às 21h, conforme a placa.

1989 – Cidade do México

Na capital mexicana, só existe restrição para a circulação de veículos antigos. Carros entre 9 e 15 anos de fabricação ficam proibidos em um dia da semana e dois sábados no mês.

1997 – São Paulo

A metrópole paulistana é a única cidade brasileira que possui rodízio de veículos. A circulação é regulada de acordo com o número final da placa e o carro fica impedido de rodar nos horários de pico: das 7h às 10h, e das 17h às 20h.

1998 – Bogotá e Medellín

Na Colômbia, as regras são municipais. A capital Bogotá proíbe que os carros com placas pares e ímpares circulem em dias pares e ímpares correspondentes. A proibição tem períodos diários: das 6h às 8h30, e das 15h às 19h30. Portanto, o motorista precisa ficar de olho no calendário e não no dia da semana. Em Medellín, a regulamentação é de acordo com a semana e a proibição é de dois dias por semana seguindo a numeração da placa.

2003 – La Paz

Na capital boliviana, a restrição é de apenas uma vez por semana, nos dias úteis, para todos os veículos. De acordo com o último número da placa, eles ficam impedidos de circular entre 8h e 20h.

2005 – San José

Na Costa Rica, a primeira fase do rodízio durou até 2009. Depois disso, as autoridades decidiram liberar a circulação, mas voltaram atrás. Hoje a proibição na capital está valendo. Um dia da semana, de acordo com a placa, os carros ficam proibidos de circular das 6h às 19h.

2008 – Pequim

Desde as Olimpíadas de 2008, a China implementou o rodízio de veículos em Pequim para reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera, já que a China é um dos países mais poluídos do mundo. Uma vez por semana, nos dias úteis, os veículos ficam proibidos de rodar das 7h às 20h, de acordo com a placa.

2010 – Quito

Na capital equatoriana, o modelo adotado é o mais parecido com o brasileiro. De acordo com a placa, os carros não podem circular entre 7h e 9h30, e das 16h às 19h30. A restrição é de uma vez por semana.