6 dicas para diminuir o valor do seguro do seu carro

Por Redação IQ 360

Sabemos que manter um carro nem sempre é uma missão barata. Combustível, manutenção, pequenos reparos, limpeza e, claro, o seguro auto. Dependendo de como for contratado, o seguro pode ser o mais caro dos gastos. Por isso é sempre bom pensar em formas de deixar o seu carro protegido de forma mais econômica. Você sabia que pequenas mudanças podem influenciar e muito na conta final do seu seguro? Confira a lista que nós do IQ 360 fizemos para você.

Todo mundo sabe a importância de fazer um seguro para o carro. É um bem que não é barato, e imprevistos podem acontecer a qualquer momento. E para fazer com que o seu seguro auto seja o mais vantajoso possível, existem alguns fatores que precisam ser levados em consideração.

Para começar, pense na importância do carro para sua vida: se você usa frequentemente, se tem crianças ou idosos em casa. Pense também em quanto você expõe seu carro ao risco e se isso pode ser mudado. Além disso fatores como idade, região, modelo e ano do carro também podem encarecer o valor final do seguro. Leia e passe as informações de forma precisa para o seu corretor.

Confira agora algumas alternativas de pequenas modificações que fazem uma grande diferença na hora de contratar o seguro. Não se esqueça de declarar todos esses itens em sua apólice para que a seguradora tenha noção de que seu carro corre menos riscos.

  1. Deixe seu carro em uma garagem:

Todo o valor do seguro é calculado de acordo com o risco total do veículo. Isso significa que quanto mais exposto a riscos seu carro fica, mais caro o seguro é. Por isso, se o seu veículo passa a noite na rua, isso vai deixar o valor final do seguro mais caro, pois ele pode ser roubado ou danificado por terceiros. Se você não tiver uma garagem, pense em alugar uma. Além de deixar a apólice mais barata, você evita eventuais prejuízos.

  1. Preste atenção em todas as coberturas da apólice:

Analise atentamente a cotação e verifique se todas as coberturas são realmente necessárias. Pode ser que algumas não sejam tão relevantes para você. Como carro reserva em caso de furto ou perca total do veículo, por exemplo. Pode ser que um Uber ou transporte público já atendam suas necessidades em caso de necessidade.

  1. Carros mais velhos geralmente tem seguros mais caros:

Se o seu carro já é bem antigo, ele tem uma grande chance de ficar com um seguro auto mais caro. Mesmo sendo o seu bem, dependendo do seu perfil como motorista, é aconselhável fazer apenas um seguro para terceiros. Ou seja, que cobre danos a algum outro veículo que você possa vir a danificar. É importante lembrar que o seguro para terceiros não deve ser feito apenas nestes casos: é indicado para todas as situações.

  1. Invista em dispositivos de segurança

Lembra quando falamos que o valor do seu seguro depende diretamente da exposição do seu veículo ao risco? Pois é, formas de baixar o risco de roubo e colisões é investir em dispositivos de segurança. Fica muito mais barato do que você imagina e faz uma grande diferença na hora de cotar seu seguro. Um dispositivo simples e que pode evitar uma grande dor de cabeça é o rastreador: se o seu carro for roubado, você tem muito mais chances de localizar e recuperar.

  1. Se ainda não comprou seu carro, leve o seguro em consideração:

O perfil do condutor é muito mais relevante do que o modelo do carro. Mas o carro também influencia nos números do seguro. Alguns modelos mais atuais de veículos já têm dispositivos de segurança, então é importante colocar essa informação no formulário na hora de contratar.

Se quiser saber a cotação para o seu veículo ou pretende comprar algum, confira no nosso comparador. Lá damos todas as informações que você precisa para fazer a melhor escolha para o seu bolso, desde o índice de roubo até o custo anual do carro.

  1. Se possível, deixe condutores jovens como motoristas eventuais:

Jovens de 18 a 25 anos são os que têm os seguros mais caros. Isso acontece porque as seguradoras levam em consideração o tempo que o motorista é habilitado e também consideraram condutores a partir de 26 anos mais responsáveis. Se o jovem dirige o carro no máximo 15% do tempo, você pode colocá-lo como motorista eventual. Mas caso o jovem necessite usar o veículo mais vezes, faça o seguro no nome de uma pessoa mais velha e coloque o jovem como condutor principal.

Agora que você já sabe como economizar na hora de proteger seu carro, acesse nosso comparador de seguros. Você pode colocar as informações do seu veículo e saber qual seguradora oferece a opção mais vantajosa para você