De quantos carros a sua família realmente precisa?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Distância entre casa, escola e trabalho
  2. Tipo de carros da família
  3. Uber e caronas
  4. Atividade e transporte público

Definir o número de carros que uma família necessita para o dia a dia costuma ser uma tarefa relacionada ao orçamento mensal e ao custo-benefício. Quanto mais pessoas habilitadas moram na residência, maiores também são as chances de que cada uma delas queira ter o seu próprio veículo.

Mas será que é realmente necessário? Alguns hábitos mais modernos, aliados à tecnologia, estão mudando essa tendência.

Confira as dicas dos especialistas antes de sair por aí comprando mais um carro só para ter mais conforto:

Distância entre casa, escola e trabalho

Quanto mais longe do trabalho, da faculdade ou da escola dos filhos você decide morar, maiores são as chances de querer comprar um ou mais carros. Não raras vezes, essa opção é motivada pelos preços mais atrativos de bairros afastados dos centros ou até em cidades vizinhas em que o IPTU é muito mais em conta. Mas será mesmo que essa troca compensa?

Para responder com maior precisão, faça os cálculos de quanto você gasta por mês com a prestação do veículo, combustível e manutenção. Cruze essas informações com os demais gastos fixos. Se o resultado final também mostrar que você está precisando de mais um carro para um dos filhos ou para o cônjuge, talvez seja melhor pensar em se mudar para um bairro mais central, em que poderá aproveitar as conveniências e facilidades a pé.

Tipo de carros da família

A escolha do carro também pode ser determinante. Se a sua família é pequena e a mobilidade é mais importante do que o conforto e o espaço, talvez seja melhor investir em dois carros populares pequenos do que em um carro enorme e que consuma muito combustível. Nem todas as famílias têm o hábito de viajar com bastante frequência, então um porta-malas pequeno também não será um problema.

Uber e caronas

Com o surgimento da Uber e outros aplicativos de caronas, a necessidade de comprar um segundo ou terceiro carro diminuíram bastante nos últimos anos. Especialmente para os jovens, que aderiram facilmente à tecnologia e até preferem se deslocar com mais liberdade, sem precisar ficar se preocupando com estacionamentos ou não consumir bebida alcoólica em uma festa. Na ponta do lápis, muitas vezes fica mais barato andar apenas de Uber do que comprar um carro. Verifique o seu orçamento e cruze com os seus gastos fixos para ver se o seu resultado não seria esse.

Atividade e transporte público

Para profissionais liberais, que dependem do carro para fazer viagens mais longas e interurbanas, talvez seja um indicativo de que ter um automóvel é imprescindível. Mas para quem trabalha dentro das cidades e precisa se deslocar durante boa parte do dia, essa realidade já ficou mais flexível. Usando o transporte público e os aplicativos de carona ou táxi, a rotina pode ficar mais barata até mesmo para trabalhar. Sem contar que você ajuda a poupar o meio ambiente e diminuir a poluição do ar.