Seguro APP: o que é e porque você deve contratar

Dirigir veículos sem ter o apoio de um seguro auto pode ser muito perigoso: notícias de acidentes de trânsito, roubos ou furtos de veículos são rotina nos jornais. Além disso, o motorista corre o risco de gastar com possíveis danos ao carro ou até ter a perda total do veículo após um acidente.

É aí que o seguro auto entra: por meio do pagamento do prêmio, valor pago para a seguradora para ter as coberturas que o seguro dá direito, a pessoa que contrata o serviço fica mais tranquila ao dirigir, porque terá o reembolso da quantia dos gastos com possíveis reparos. Porém, é importante ressaltar que o seguro apenas cobre o que está descrito no seu contrato, chamado de apólice. Existem três tipos diferentes de seguro para se escolher:

  • Casco: cobre danos referente ao veículo segurado.
  • Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V): cobre danos materiais (DM), corporais (DC) e morais (DMo) de terceiros envolvidos em acidentes ocasionados pelo segurado
  • Acidentes Pessoais de Passageiros (APP): indeniza danos causados aos passageiros do veículo segurado, incluindo o próprio motorista

Cobertura do Seguro APP

O modelo APP de seguro, mesmo com o preço mais baixo quando comparado aos outros, é o menos procurado pelos brasileiros, segundo a Superintendência de Seguros Privados (SUSESP). Isso acontece porque a modalidade é facilmente confundida com o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT).

Sendo um seguro obrigatório, o DPVAT é pago anualmente junto com a primeira parcela do IPVA ou na Carteira Única. Muitas pessoas decidem não comprar o APP por pensarem que o serviço coberto pelas duas modalidades é o mesmo. O DPVAT pode não ser suficiente para cobrir todas as despesas de acidentes a passageiros e não tem a facilidade que o seguro auto APP oferece. Além disso, o DPVAT tem um processo de reembolso criticado pela burocracia.

Mas qual exatamente é a cobertura do seguro APP? Há três possibilidades estabelecidas na apólice:

  1. Morte: em caso de morte de passageiros presentes no veículo na hora do acidente, uma indenização é paga ao beneficiário até o limite máximo contratado na apólice. No caso de morte do beneficiário, essa indenização é paga a terceiros definidos previamente pelo beneficiário ou aos herdeiros legais.
  2. Invalidez: a seguradora indenizará o passageiro caso ele sofra invalidez permanente total ou parcial, ou seja, fique impossibilitado de exercer sua atividade profissional por conta do acidente
  3. Despesas Médico-Hospitalares: todas as despesas médico-hospitalares que o passageiro tiver por conta do acidente sofrido serão cobertas pela apólice. Este tipo de cobertura não está disponível em todas as seguradoras, por isso é bom checar a cobertura específica de cada serviço.

Faixa de Preço do Seguro APP

Como todos os tipos de seguros, o valor do prêmio do APP também varia conforme alguns quesitos do veículo e do motorista: o modelo do carro, o tempo de experiência e até mesmo o estado civil do motorista são fatores a serem considerados na precificação do seu seguro auto.

Mas o que poucas pessoas sabem é que o seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros é o tipo mais barato do mercado: geralmente, os valores cobrados variam de RS20 a R$60, conforme a seguradora.

Na apólice do APP estará estabelecido a quantia que a seguradora irá desembolsar caso os passageiros sofram acidentes. Na Itaú Seguros, por exemplo, o valor não pode ser abaixo dos R$10 mil nem acima dos R$100 mil. Já no caso da Azul Seguros, não há um valor mínimo do APP, mas o limite máximo é definido em R$50 mil. As que estipulam preços mais altos costumam ser as que cobrem as Despesas Médico-Hospitalares.

Será que no meu caso compensa ter o APP?

Acidentes de carros podem causar graves danos ao passageiro e, consequentemente, danos ao bolso de quem terá que arcar com as respectivas despesas médico-hospitalares ou indenizações – que podem chegar a valores exorbitantes. Pensando nisso, pagar uma média de R$40 por ano para ter a cobertura do seguro APP é definitivamente vantajoso.

Mas se você ainda estiver em dúvida em adicionar o APP a sua apólice, é bom avaliar as probabilidades de você sofrer um acidente de trânsito. Considere alguns fatores:

  • Cidade: a frequência de acidentes de trânsito na sua cidade. Para a cidade de São Paulo, por exemplo, o site do Observatório da Detran disponibiliza gráficos e índices com estes dados
  • Trajetos: dependendo das rotas que você percorre com seu veículo, a chance de acontecer acidentes aumenta – acidentes em vias expressas são muito mais comuns do que em ruas menores
  • Número de Passageiros Habituais: se você utiliza seu carro para transportar mais pessoas, como por exemplo seus familiares, compensa mais contratar o seguro APP do que ter que arcar com diversas despesas caso um imprevisto aconteça
  • Se avalie como motorista: querendo ou não, sabemos quando somos bons ou maus motoristas. Se você não se considera bom no volante, contratar um seguro APP é uma boa opção para assegurar seu bem-estar e dos demais passageiros

Contratar o Seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros é algo a se pensar: além de te dar mais tranquilidade ao dirigir e prevenir possíveis surpresas, o APP é o tipo de seguro auto mais barato do mercado! Com cerca de R$40 por ano, você evita uma forte dor de cabeça caso sofra algum tipo de acidente com seu veículo.