Tabela FIPE

Por Redação IQ 360

Tabela FIPE

A tabela FIPE é essencial para quem deseja comprar ou vender um veículo, pois por meio dela é possível estabelecer um valor médio de qualquer automóvel.
Assim, a tabela FIPE é uma referência de preços para o mercado automotivo atual. É por ela que seguradoras e revendedoras se baseiam para estabelecer seus preços.
Obviamente, diversos fatores também influenciam o preço de um veículo, como a condição em que ele se encontra, a cor, o ano, a localização, dentre outros.
Vale ressaltar que a tabela passa por reajuste todos os meses. Logo, os valores dos automóveis também são alterados. Ela também é utilizada no cálculo do IPVA, assim como serve de base para o cálculo da indenização de Seguro Auto.
Por essa razão, existem sempre muitas dúvidas sobre a tabela FIPE e o objetivo deste artigo é ajudar a esclarecê-las.

O que é a tabela FIPE?

A tabela FIPE foi criada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas. Trata-se basicamente de uma referência de valores para carros usados e seminovos, bem como para a realização de seguro e contratos.
Basicamente a tabela FIPE contém todos os índices de valores de carros, caminhões e motos. Para serem estabelecidos os preços, são descartados valores altos ou baixos demais. Isso é feito para que não haja divergência nas estatísticas, levando em consideração os preços médios.
É importante destacar que a tabela FIPE sofre alterações mensalmente. Atualmente, a tabela é usada pelos comerciantes e vendedores, sendo assim a principal fonte de informação sobre os veículos.
Se você deseja comprar ou vender um veículo, é preciso que esteja atento às mudanças da tabela FIPE. Assim você não corre o risco de perder dinheiro ao negociar.
Entretanto, é comum encontrar carros com valores que estejam abaixo do informado na tabela. Devemos lembrar que ela é apenas uma referência e fatores como a conservação do bem, por exemplo, podem mudar o preço.
Outro aspecto que influencia muito no valor de venda de um carro é se ele ainda contém as peças originais de fábrica. A tabela FIPE só leva em conta os carros que estejam nessa condição.
O dono do veículo pode cobrar o valor que considerar justo para o seu automóvel, que pode ser maior ou menor do que o preço que está na tabela Porém, é inegável que ela é uma referência no mercado.

Como é calculado o valor da tabela?

É bastante comum que a forma como a tabela é calculada gere dúvidas e questionamentos. O preço é estabelecido depois de várias pesquisas realizadas em lojas, classificados e revendedoras.
Para começar, é feito um levantamento de dados nos quais a instituição responsável consulta os valores de venda dos automóveis.
Depois deste primeiro processo, são descartados os valores que estão altos ou baixos demais, evitando-se assim discrepância no preço médio da tabela FIPE.
Feito isso, são realizados os cálculos médios de preço de acordo com a marca, ano, modelo e o outras características do veículo.
Assim é calculado o valor da tabela, que será efetivamente usado como referência em todo o mercado.

Quais as exceções do valor

Carros que sofreram diversos consertos e hoje não possuem as peças originais de fábrica não são levados em consideração no momento de criar a tabela FIPE.
Logo, se você encontrar veículos com preços abaixo do que está na tabela, talvez esse seja um dos motivos. De qualquer modo, vale a pena esclarecer isso com o vendedor.
Além desse fator, conforme já esclarecemos, carros sendo oferecidos por valores altos demais não são levados em consideração. Em uma comparação com outros no mesmo estado e sob as mesmas circunstâncias, torna-se impossível estabelecer um preço médio.
Isso vai de encontro aos objetivos da tabela, que busca exatamente uma média de valores. O mesmo se aplica a carros vendidos com valores muito abaixo do mercado.

Qual influência da tabela FIPE no Seguro Auto?

Além de ser uma referência em termos de preço médio para carros usados e seminovos, a indenização do Seguro Auto é também feita através do valor apurado pela tabela FIPE.
Muitas pessoas se enganam ao pensar que o pagamento do seguro em casos de sinistro, como por exemplo o roubo de um veículo, é feito levando em consideração valores apurados no momento em que ele foi contratado.
A verdade é que a indenização do seguro costuma ser paga usando a tabela FIPE do mês do pagamento como referência.
Por essa razão, o valor a ser pago como indenização pode ser maior ou menor do que aquele que o contratante do seguro considera justo. Isso depende da avaliação de mercado atualizada mensalmente com a divulgação da tabela.
Outro aspecto é que os acessórios que são adicionados aos veículos não são levados em consideração para o cálculo e, às vezes, não são cobertos. Ou seja, o indivíduo não será indenizado por eles.
Se você não quer correr esse risco, exija uma cláusula específica referente aos itens adicionais do seu carro ao contratar o Seguro Auto.
Existem seguradoras que indenizam até 110% da tabela do FIPE na tentativa de corrigir algumas dessas questões, mas isso precisa ser estabelecido na assinatura do contrato.
É necessário que você esteja ciente de que se algo acontecer com seu carro no fim do mês e você tiver o Seguro Auto, é bastante provável que o valor da sua indenização considere a tabela FIPE em vigor não no mês do sinistro e sim no mês do pagamento da indenização.
Por exemplo, se o seu carro é roubado no final do mês dezembro, o valor pago será o que está na tabela FIPE no mês de janeiro, pois o processo para pagamento da indenização dura alguns dias e a tabela considerada é a do mês de pagamento.
Assim, fica evidente a influência da tabela FIPE não apenas no valor do seu Seguro Auto, mas também no mercado de veículos como um todo, especialmente quando se trata de compra e venda.

IQ Seguro Auto

Cote e contrate seu seguro 100% online

Cotamos o seguro auto perfeito para você com as melhores seguradoras

Faça cotação grátis