Vendendo seu carro usado: quando vender e quanto cobrar

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Quando vender seu carro usado
  2. Quanto cobrar do seu carro usado
  3. Revisão do carro usado
  4. Multas e pendências
  5. Laudo cautelar

Vender um carro seminovo ou usado requer alguns cuidados bem específicos para que o negócio seja vantajoso. A primeira dúvida geralmente é o momento ideal para trocar de carro, mas, além disso, também é importante se preparar para a burocracia. Confira algumas dicas:

Quando vender seu carro usado

Os especialistas alertam que essa decisão vai muito além do simples desejo de querer comprar um carro novo. O primeiro indicativo de que pode ser um bom momento é quando a montadora lança um modelo mais novo do que o seu. Se a manutenção já está pesando demais no seu bolso, esse pode ser mais um fator decisivo. O indicado é que a manutenção não supere o teto de 10% do valor do veículo. Se isso já está ocorrendo, é melhor trocar mesmo.

Quanto cobrar do seu carro usado

No mercado de compra e venda de carros usados, a desvalorização de um carro com até dois anos é considerada mais rápida e elevada. Isto é, logo que ele sai da concessionária, já cai bastante o seu preço e esse declínio é constante. Passado esse período, o valor vai ficando mais estável até alcançar a marca de 10% do valor inicial. Ou seja, se um carro zero custava R$ 50 mil, cinco ou oito anos depois ele poderá custar apenas R$ 5 mil.

Revisão do carro usado

Se você optou mesmo pela venda, agora é hora de olhar para o seu carro usado como um produto a ser comercializado. O primeiro passo é lembrar que existe uma concorrência grande na venda de carros usados. Portanto, faça uma boa revisão, deixe o maquinário em dia, troque o óleo e as pastilhas dos freios, revise os amortecedores, pneus e demais itens. Se tiver algum problema na lataria, conserte assim que possível. Mas lembre-se de manter todas as peças originais ou do mesmo fabricante.

Multas e pendências

Além do veículo em si, é essencial se preocupar com a documentação. Se houver alguma multa em aberto ou qualquer outra pendência com a seguradora, por exemplo, deixe tudo em ordem. Se não tiver dinheiro para fazer isso agora, reconsidere a venda neste momento e pense em um prazo maior para resolver todas as questões. A chance de que esses problemas barrarem a venda lá na frente é enorme.

Laudo cautelar e Transferência do carro

Depois de todos esses cuidados iniciais, faça um laudo cautelar. Esse é o certificado emitido por empresas autorizadas pelo Detran que vai comprovar que o seu veículo está em boas condições. Muitos compradores ou interessados já solicitam esse laudo para efetuar a compra, até porque isso será importante para a contratação do seguro auto depois. Se você tiver esse relatório em mãos, já sai na frente de vários concorrentes.

Depois de encontrar o seu comprador, haverá uma nova rodada de burocracia referente aos documentos. A transferência do veículo para outro proprietário deve ser informada ao Detran. Esse processo de transferência pode durar até 30 dias até que o novo dono esteja constando no Certificado de Registro do Veículo (CRV). Cabe ao comprador cuidar desse processo e confirmar que a transferência foi realizada.