Por que fui negado no Seguro de Vida?

Por Redação IQ 360

Índice de Conteúdomenu

  1. Idade e estilo de vida
  2. Doenças graves
  3. Profissões de risco

Criado como uma maneira de garantir segurança financeira para sua família e seus dependentes em caso de morte, o Seguro de Vida também é uma salvaguarda de renda em situações de invalidez por acidente e doenças graves. Oferecido por seguradoras e bancos, pode conter diversos tipos de coberturas, personalizadas de acordo com o perfil de cada cliente.

As parcelas são pagas mensalmente. O valor a ser recebido em casos extremos é determinado pela cobertura da apólice e especificidades do contrato. Cada prestadora de serviços tem a liberdade de definir quais critérios são analisados, por isso é importante ler atentamente todas as cláusulas do contrato para não ser surpreendido no futuro.

Existem diferentes tipos de seguro de vida. Podem ser planos coletivos (oferecidos pela empresa empregadora aos funcionários, por exemplo) e individuais (contratado de maneira independente pelo segurado), o que ainda inclui outros tipos como: seguro de vida tradicional (vitalício e válido enquanto o segurado estiver pagando o prêmio); resgatável (permite resgate percentual do valor total pago após um prazo de carência); temporário (não resgatável, mesmas condições do tradicional, mas é válido por prazo determinado); acidentes pessoais (cobertura simples de invalidez temporária e morte acidental).

Como já foi dito, o valor do prêmio em cada caso deve variar de acordo com os tipos de cobertura disponíveis e o perfil do segurado, avaliado de acordo com os fatores de risco que oferecem à seguradora. Geralmente mulheres e não fumantes garantem descontos nas parcelas, por exemplo. Confira a seguir quais condições podem impedir que você seja aceito no seguro de vida.

Idade e estilo de vida

Regulamentadas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), as seguradoras podem se negar a aceitar fazer algum tipo de seguro desde que a condição esteja previamente especificada na proposta. Além disso, elas têm um prazo para informar a recusa especificando em detalhes os motivos e critérios analisados. Caso isso não seja feito, o consumidor tem o direito de contestar a decisão.

Além do gênero e estilo de vida, as seguradoras também levam em consideração a idade e profissão para aprovar ou não a apólice. A maioria das empresas possui um limite de idade para a liberação do seguro, por isso, se você tem mais de 65 anos ou pretende fazer uma apólice para menores de 14 anos pode encontrar dificuldades de contratar o serviço.

Entretanto, já existem no mercado seguradoras com serviços direcionados à terceira idade que aceitam segurados de até 80 anos de idade, embora os preços sejam bem mais caros.

Doenças graves

Outro grupo que pode se recusado na contratação de um seguro de vida é o de pessoas que já tiveram o diagnóstico de alguma doença grave (principalmente em apólices que cobrem esse tipo de evento). Entretanto, quando já se passaram pelo menos cinco anos desde a descoberta, as chances de aprovação da apólice aumentam.

Profissões de risco

O mesmo pode acontecer com quem trabalha em alguma profissão de risco, como motoboys, agentes penitenciários, etc. Além de serem recusados, esses perfis podem encontrar restrições em algumas seguradoras. Entretanto, ainda é possível encontrar planos específicos para carreiras mais arriscadas.