Seguro fiança locatícia

Por Redação IQ 360

Alugar um imóvel através de uma imobiliária torna-se uma tarefa cada vez mais difícil por conta dos diversos pré-requisitos e documentos pedidos. E, dentre as muitas exigências, encontra-se o fiador.
O fiador de um imóvel serve como garantia do pagamento dos alugueis, pois, caso o inquilino não pague, a cobrança é feita diretamente a este “garantidor”. Imagina-se que se trata de um cargo de responsabilidade, e por este motivo, muitas pessoas acabam por fugir desta missão.
E, como solução, existe o seguro de fiança locatícia. A seguir, estão descritos alguns detalhes desta modalidade de seguros.

O que é

Como explicado anteriormente, ter um fiador é quase sempre uma exigência para alugar imóveis. Caso o locatário não tenha um fiador para indicar na hora da contratação junto à imobiliária, existe um recurso oferecido por algumas seguradoras: um serviço que “substitui” o fiador – ou seja, o seguro contratado assume o risco de o locatário não pagar o aluguel.
O serviço já é disponibilizado por diversas imobiliárias na tentativa de agilizar o processo da contratação. Por este motivo, menos documentos serão exigidos, e menos informações do locatário também, minimizando o tempo gasto no cadastramento.
Portanto, você poderá contratar o serviço nas seguintes situações:
• Quando se necessita alugar um imóvel, mas não há nenhum fiador disponível
• Pouco tempo disponível, com a necessidade de agilizar o processo da contratação
• Possibilidade de parcelamento – levando em conta que muitas vezes seria preciso pagar um cheque caução (o qual não permite parcelamentos)
• Desejo também por outros serviços oferecidos pelo seguro, como cobertura de danos físicos e até mesmo pintura antes da entrega do bem

Vantagens

Depois de conhecer quando o serviço é cabível, saiba em quais pontos poderá atuar:
Pagamento do aluguel: caso o contratante não consiga arcar com as despesas do aluguel previstas em contrato, o seguro irá cobrir. Porém, os motivos deverão ser sempre justificados
Cobertura de taxa de condomínio: pagar o condomínio é uma obrigação mensal, e também prevista em contrato. Em casos de o inquilino deixar a conta devedora, o seguro de fiança locatícia poderá ser acionado
Pintura do imóvel: muitas imobiliárias exigem que a construção seja pintada e reparada antes de ser “devolvida”, sendo esta uma obrigação do contratante. Nestes casos, o seguro também poderá atuar
Reparo de danos: assim como a pintura, arcar com paredes furadas, portas danificadas, lâmpadas queimadas também serão obrigações na hora de devolver um imóvel
Além disso, poderão ser contratadas coberturas adicionais, a exemplo do pagamento de contas de água, luz, gás e diversas outras que podem estar atrasadas. Lembrando que cada uma das coberturas deve ser decidida já no momento da contratação do seguro.
Agora, imagine a seguinte situação: um indivíduo locou um imóvel, onde morou por mais de 10 anos, até que construísse sua casa própria. Precisou realizar diversos empréstimos para conseguir acabar seu imóvel, e ao devolver o apartamento locado, ainda precisa arcar com pintura, correção de danos e algumas contas atrasadas.

Pontos para analisar

Assim como qualquer serviço contratado, o seguro também exige alguns cuidados. É importante atentar-se a:
Ajustes: cada seguradora aumenta o valor do prêmio do seguro contratado de acordo com uma taxa (devido à inflação). Analisar este ponto antes de assinar um contrato é fundamental.
Valor cobrado: o preço costuma ser estabelecido por % em cima do valor do aluguel mensal. Esteja sempre atento e busque comparar preços entre as prestadoras do serviço.
Agilidade: é importante lembrar que o tempo costuma estar em jogo, visto que o locatário tem pressa de mudar-se para o novo lar. Por isso, atente-se sempre ao prazo dado pela seguradora para liberar os fundos.
Cobertura: analisar quais despesas e pontos serão arcados pelo serviço também é uma tarefa anterior a contratação.
Por isso, a leitura completa da apólice garante que o indivíduo não tenha mais prejuízos ao invés de benefícios. Estar sempre atento aos detalhes é essencial.
E, para finalizar a contratação, geralmente serão exigidos diversos documentos e informações do contratante, como:
Carteira de identidade: um documento com foto, que contenha todas as informações pessoais (como nome, RG, CPF, data de nascimento)
Comprovante de renda: seja a declaração de imposto de renda, carteira assinada, ou qualquer outro documento que comprove os ganhos do indivíduo
Informações do imóvel anterior: se já morava anteriormente de aluguel, deverá mostrar recibos e outros documentos referente a estes
Nos casos em que o contratante é uma pessoa jurídica, ou mais de um indivíduo, será necessário conferir as condições de cada empresa de seguro.